• Contato: willian4w@gmail.com
  • Site: www.avesderapinabrasil.com
  • Sou biólogo/ornitólogo, trabalho com ecologia de aves, com ênfase em Biologia Comportamental e Uso de Habitat de aves de rapina diurnas e noturnas.

Sou biólogo, paranaense, nascido em 1989, graduado no Centro Universitário de Maringá (2010) e mestrando em ecologia de aves pela Universidade Estadual de Londrina (2011). Trabalho com ecologia e conservação de aves de rapina (Accipitriformes, Falconiformes e Strigiformes), grupo que venho me dedicando e desenvolvendo trabalhos desde o início da vida científica. Atualmente trabalho na equipe da Hayabusa, onde atuo no monitoramento, manejo e controle de aves em aeroportos. Sou criador e editor do site científico Aves de Rapina Brasil (www.avesderapinabrasil.com).

Considero-me um apaixonado pela vida selvagem nos diversos aspectos, e desde pequeno as aves de rapina me causavam fascínio. Nasci em Peabiru, uma pequena cidade situada no noroeste do Paraná, lá tive contato direto com a natureza, os animais em geral me causavam fascínio, gostava muito de dinossauros, morcegos e felinos, mas a paixão pelas aves de rapina foi maior. Lembro-me que com meus 11 anos, havia descoberto um ninho de gavião-carijó nas proximidades de casa, então comecei a observar os cuidados parentais do casal, a agressividade daquela “ave ousada” contra outras espécies e fui me apaixonando cada vez mais pelas aves de rapina.

Aos poucos fui descobrindo (aprendendo a identificar) outras espécies, vasculhava as bibliotecas atrás de livros e enciclopédias que abordassem as aves de rapina, geralmente não encontrava muita coisa, lembro que a Barsa foi o primeiro livro onde li algo sobre rapineiras. Naquela época, a TV aberta costumava exibir documentários da Discovery sobre a vida selvagem, certa vez assisti na Band um das aves de rapina (Birds of prey: ultimade guide), fui a loucuras, delirei ao assistir. Ao iniciar a graduação de Ciências Biológicas centralizei minhas pesquisas a esse grupo. E com a popularização da internet, nessa época tive a felicidade de conhecer alguns ornitólogos, dentre eles o Professor Dr. Jorge Albuquerque, um grande sábio das aves de rapina, e com ele aprendi muitas coisas.

Todos meus projetos que desenvolvi foram com aves de rapina. Dentre os principais, destaco os últimos. De 2008 a 2009 realizei um trabalho com rapinantes diurnos de ambientes rurais, o objetivo foi obter dados sobre as aves de rapina presentes em paisagens modificadas pelo homem, como ambientes urbanos, áreas rurais, espécies adaptadas a esse ambiente, padrões de ocupação e outros dados relevantes.

Em 2009 iniciei o trabalho com aves de rapina na Reserva Biológica das Perobas, uma UC Federal criada em 2006 de 8.716 ha de floresta preservada, a maior e mais importante área florestal do noroeste do Paraná. Por lá registrei a presença de algumas espécies raras e ameaçadas de extinção no Paraná. Os dados que obtive na Rebio sobre composição, abundância e ocupação de habitat foram o tema de minha monografia e os dados tiveram grande importância para a reserva já que iria subsidiar o plano de manejo da mesma. Agora no mestrado estamos trabalhando com a distribuição espacial e uso de habitat das corujas na reserva.

Em 2010, conquistei o prêmio de melhor pesquisa de iniciação científica com meu trabalho sobre a composição e abundância das aves de rapina diurnas da Rebio das Perobas. A premiação foi concedida pela diretoria de pesquisa do Cesumar, universidade na qual estudava. Em 2011, com um trabalho sobre as corujas da Rebio das Perobas, conquistei o Prêmio Helmut Sick no XVIII Congresso Brasileiro de Ornitologia, sediado no campus da UFMT, em Cuiabá/MT.

Embora eu seja um fotógrafo amador, gosto muito de clicar e participava dos concursos de fotografias dos eventos de biologia. Em 2009, fui premiado em 1º, 2º e 3º lugar respectivamente no Concurso da semana de biologia do Cesumar, categoria “Impactos Ambientais e Sustentabilidade”. Em 2010, conquistei o 3º lugar no mesmo evento da universidade. No ano de 2011, ganhei o 2º lugar no concurso de fotografia, no encontro maringaense de biologia realizado pela UEM, na qual o tema era: “Das cidades às florestas, das florestas às cidades”.

Ouço vários estilos musicais, mas meu preferido sem dúvidas é o bom e velho Rock’n Roll. Gosto muito do rock nacional, internacional, MPB, músicas clássica, reagge, etc. Só não gosto de funk, tecnobrega e músicas “sem letras”. Minhas bandas favoritas são: Maná, Engenheiros do Hawaí, Detonautas, Skank, Legião Urbana, Jota Quest, Charlie Brown Jr, Titãs, Ira, Capital Inicial, Pitty e Shakira. Filmes, gosto de ficção científica, aventura, suspense e terror. Sou fanático pela trilogia Jurássic Park (Parque dos dinossauros) e a quadrologia Indiana Jones. Aqueles de comédias e comédias-românticas também gosto, mas desde que não esteja sozinho haha. Quanto à culinária, sou bem aberto a “novos sabores”, gosto de comida japonesa, mexicana além dos práticos típicos do sul do Brasil. Gosto muito de viajar, prefiro  o campo à praia. Ambientes florestais, serras, montanhas, cânions, cerrados e ilhas estão entre meus “habitats” preferidos.

Participação no Virtude

Amigos do Virtude-AG