Dourado, a 290 km de São Paulo é um lugar que deve constar obrigatoriamente da agenda de qualquer observador de aves. A quantidade de aves e diversidade de espécies é bem grande. Mas não dá para ir sem guia, pois a maioria dos locais de interesse fica dentro de propriedades privadas e somente é possível adentrar com um guia local conhecido.

A ponta de Caieiras foi um lugar muito especial, só com pedras vulcânicas e água bem limpinha. Pude ver de perto o maçarico-galego (Numenius phaeopus), bandos de vira-pedras (Arenaria interpres), maçarico-de-papo-vermelho (Calidris canutus), batuíra-de-bando (Charadrius semipalmatus) batuiruçu-de-axila-preta (Pluvialis squatarola)

O Birdwatching Caiçara é a associação da prática da observação de aves a atividades físicas de nível médio ou até mesmo a situações de aventura. O objetivo é tornar a observação de aves mais dinâmica e atraente para quem ainda não a conhece. Não restringimos a atividade apenas aos observadores de aves e sim, convidamos aqueles que pedalam, caminham e remam a conhecer nossas aves por meio dessas atividades.

Há algum tempo tive a oportunidade de ler um artigo na web em que era citado o fato da Fundação O Boticário possuir duas reservas naturais no país. Uma dessas áreas era a Reserva Salto Morato no Paraná. Desde então comecei a alimentar o desejo de conhecer esse local e estendi a proposta aos amigos do GRIFOO, como um possível destino para uma de nossas viagens.

A reserva do Banhado do Taim, é uma região do Pampa ainda bastante preservada. Vimos cisne-de-pescoço-preto, frango-d´água-carijó,  falcão-peregrino, gavião-cinza, capororoca com filhotes pequenos, tachã com filhotes pequenos, príncipe com jovem, tartaruga desovando e muitos outros. Mais de 100 espécies de aves.