Hoje o principal fórum para se conversar sobre aves e fotos de aves no Brasil é o Wikiaves. Um site incrível, que mudou a história do birdwatching no Brasil, mas que não deixa de ter como cerne ser uma Wikipédia. Tenho a impressão de que essa característica, mais os resultados gerais do concurso do Avistar, têm nos influenciado a pensar que uma foto só é boa se atender determinados critérios ornitológicos. Não tenho nada contra as fotos ornitológicas, o que me preocupa é a desconfiança de que isso nos faz parar de tentar outros tipos de fotos, e que a gente esteja ensinando esses critérios a quem entra no mundo do birdwatching.

Topetinho-verde (Lophornis chalybeus) Festive Coquette mar/2007

 

Texto e fotos: Claudia Komesu

Se alguém me perguntar “aonde você acha que vai chegar com isso?”, honestamente, terei que dizer “não sei”. Mas tenho dois membros da Virtude, com quem converso por e-mail, que se interessaram pelas minha elucubrações sobre os caminhos da fotografia de aves no Brasil. Mais do que interesse: me disseram que agora quando saem para fotografar, lembram do texto, e ficam pensando em como também conseguir fotos que tenham um estilo menos ornitológico.

Quando escrevi, em fevereiro, não imaginava que outras pessoas pensassem ou concordassem com essas ideias, então encontrar duas pessoas é uma comemoração.

Além disso, na semana passada tive duas passarinhadas que me deram o que pensar: orientei uma amiga no Parque Villa-Lobos, e vi a alegria dela em conseguir fotografar sabiás, bem-te-vis, canários, quero-queros com uma compacta de zoom de 10x. No dia seguinte voltei ao parque, com o pretexto de fotografar taperuçus-de-coleira-branca, que tinham passado ao meio-dia voando baixo. Os taperuçus não apareceram, mas passei horas me divertindo com os canários, bem-te-vis, suiriris, sabiás, quero-queros…

 

O que é o Lado B da fotografia?

É um nome inventado para o tipo de foto que hoje ocupa um espaço marginal no mundo passarinheiro no Brasil:

– fotos bonitas, mas que não representam os melhores aspectos ornitológicos da ave, seja por contraluz, pose, subexposição, movimento e partes do corpo borradas, por não mostrar os olhos, por esconder parte do bico ou da cabeça, por não estarem bem próximas e super-focadas.

– fotos de espécies comuns, mesmo que sejam fotos bonitas. A não ser que o autor seja bem popular, elas não dão muito Ibope no Wikiaves.

– fotos que mostram as aves em fios, postes, antenas. A maioria dos fotógrafos descarta essas fotos, mas eu sou totalmente a favor, porque acho importante mostrar como as aves estão em todos os lugares.

 

O que significa vir para o Lado B?

É um convite a experimentar:

– Não buscar apenas fotos que poderiam estar em guias ornitológicos. Tentar mais, mesmo quando a ave não está perto o suficiente para uma fotona de muitos pontos no Wikiaves, mesmo quando não há luz suficiente para ter uma grande definição de penas, mesmo quando é uma espécie comum como pardal, bem-te-vi, periquito.

– Não seguir apenas o estilo americano, de ave que enche o quadro: também buscar fotos que deem ideia do ambiente, de proporção do tamanho da ave, do cenário.

– Procurar outros ângulos e enquadramentos, testar silhuetas, exposições que não sejam a busca pela foto de guia de campo, ou seja, menos flash, e mais busca de “clima” do momento.

– Valorizar mais as aves comuns, as aves urbanas, aves de parques da cidade e da janela da sua casa ou do seu trabalho.

– Testar as regulagens e enquadramentos que você quiser, os itens acima são apenas sugestões. O mais importante é experimentar.

Observar e fotografar aves é muito divertido. Nós, como birdwatchers, deveríamos fazer isso sempre, não só quando é uma espécie incomum, ou quando está perto o suficiente para uma super-foto. Somos pessoas inteligentes e criativas e, muitas vezes, estamos com um super-equipamento em mãos. É ou não é um despropósito não experimentar outros tipos de fotos?

Quer participar? Façam posts com seleção de fotos “Lado B”, ou com relatos de passeios com espécies comuns. Quem sabe podemos compartilhar dicas e técnicas? Eu tenho pouca técnica, e passei meses, talvez anos, experimentando menos do que devia, mas consegui separar algumas fotos, e gostaria de ver as de vocês.

 

Mais fotos Lado B (clique na imagem)

     

    Mais São Paulo