Olá amigos, primeiramente quero desejar-lhes um 2013 cheio de realizações, paz, harmonia, amor e, é claro, não pode faltar… muitas fotos. 2012 foi maravilhoso, tive minha primeira exposição fotográfica, conheci pessoas maravilhosas e também ganhei meu primeiro concurso fotográfico do Jardim Botânico, ficando com a 5º colocação….

alma_noite_paulo_dias_01

Noite de Lua-cheia em Suruí

  • alma_noite_paulo_dias_01
  • alma_noite_paulo_dias_02
  • alma_noite_paulo_dias_03
  • alma_noite_paulo_dias_04
  • alma_noite_paulo_dias_06
  • alma_noite_paulo_dias_07
  • alma_noite_paulo_dias_08
 

Neste finalzinho de 2012 fui presenteado pela natureza, realizei um sonho que era de encontrar uma de minhas espécies noturnas preferidas… mas antes de revelar qual seria, vou contar como cheguei a esse encontro primeiro….

28 de dezembro de 2012, era fim de tarde, creio eu que seria a primeira noite de lua cheia, então liguei para o Sr. Nicolau – um grande companheiro nas minhas caminhadas por Barão de Iriri, Suruí e Mauá, o qual tem me ajudado bastante com meus registros e fotos. Perguntei se ele estaria livre naquele final de tarde, pois queria fotografar alguns bacuraus pela estradinha. Confirmando que ele estaria livre, peguei meu equipamento e fui para Barão, cheguei por volta das 16h, o tempo não estava muito quente, pegamos o carro e fomos atrás de algumas aves no mangue. Não havia nenhum movimento naquele dia, estava bastante parado, fomos para um lugar mais afastado beirando o rio Suruí, onde finalmente ouvi um grupo de tempera-viola (Saltator maximus), era minha chance de melhorar a foto da espécie, peguei o playback e não demorou muito para me responderem …

O fim da tarde só me rendeu algumas fotos boas do tempera-viola, e não vi mais nada, alguns carretões (Agelasticus cyanopus) apenas cantando bem longe, algumas garça-vaqueira (Bubulcus ibis) que voavam e pousavam seguindo as vacas para catarem alguns insetos que eram por elas espantadas, e um casal de carrapateiros (Milvago chimachima) que catavam pacientemente alguns carrapatos dos bois, então fomos para um barzinho esperar a noite cair e tentar encontrar alguns bacuraus ou até mesmo algumas corujas…

Fiquei aguardando a noite cair e conheci alguns novos amigos, moradores de Barão, tomei alguns refrigerantes comi alguns salgadinhos, conversamos um pouco e logo a hora passou. Quando foi por volta das 19h30 chamei o Sr. Nicolau e perguntei se ele tinha alguma lanterna pois a minha estava sem pilha… ele ficou de arrumar uma emprestada do vizinho, e vem ele com uma lanterna LED de brinquedo, até que iluminava bem, porém se apertasse o botão novamente ela ficava piscando com várias lâmpadas coloridas, só faltava tocar musiquinha rs* certo… pegamos o carro e fomos à “caçada”. A lua estava linda e maravilhosamente laranja, percorremos a estradinha e avistamos alguns bacuraus, mas sem sucesso de fotos…

Peguei a lanterna e comecei a iluminar os mourões dos pastos, até que alguma coisa brilhou. Rapidamente paramos o carro e desci para saber oque era, quando olho mais perto não acreditei no que tinha encontrado! Fiz a primeira foto de registro e quando confirmei era uma linda mãe-da-lua, ou urutau (Nyctibius griseus) , ela ficou parada por alguns minutos e vou dando alguns rasantes, parecia catar alguns insetos no ar e depois foi para dentro do pasto e e parou em outra estaca, não resisti e fomos atrás dela, pulamos a cerca e entramos pasto a dentro com um matagal até o joelho, fomos chegando bem devagar e não acreditava! O Sr. Nicolau foi na frente e chegou muito perto dela, consegui lindas fotos e o primeiro registro do urutau, mas algo estava estranho senti minhas costas pinicarem e minha perna também, não era possível mesmo de calça jeans os mosquitos me mordiam e eram muitos, minhas costas ficaram vermelhas, mas cada mordida valeu a pena por ficar frente a frente com o urutau a “ave fantasma” ou a “alma da noite”.

Esse foi meu presentão de fim de ano. Sempre quis fotografar esta espécie aqui em Magé, meu primeiro contato com essa ave foi na RPPN Guainumbi em São Luís do Paraitinga, mas nunca fiquei tão próximo ao ponto de quase poder tocá-la…

Quando penssei que tinha acabado e fechado a noite, quando chego em casa, quem eu encontro me recepcionando no meu portão???? A minha querida corujinha-do-mato (Megascops choliba), ela resolveu dar as caras para mim outra vez hehe….

Obrigado a todos e Feliz 2013… até a próxima passarinhada…..