Os pais do Cris nasceram na Romênia. Eles já voltaram pra passear por lá, mas esta foi a primeira viagem pra Romênia com família reunida.

A Romênia tem grandes áreas de natureza preservada, é o país da Europa com a maior concentração de ursos. Não há uma abundância de informação disponível, e não foi possível fazer nossos passeios imersivos. O roteiro foi feito pelos pais do Cris com alguns destinos importantes pra eles. Vou destacar os pontos relacionados com fotografia de natureza:

Delta do Danúnbio, na região de Tulcea

Talvez seja o destino birdwatcher mais famoso da Romênia, esse dá pra encontrar informações e agências que fazem passeios focados. Mas há época certa – parece que a primavera é o melhor, e também ouvimos falar que o pessoal se embrenha delta acima, dormem alguns dias nuns vilarejos próximos do rio.

Nós estávamos em julho, nosso passeio começou às 9h, estávamos num barco andando relativamente rápido. Não esperava ver muita coisa, mas se você olhar a página de Tulcea no Inaturalist, dá pra ter uma ideia da riqueza da região: https://www.inaturalist.org/places/tulcea#taxon=3. No Inaturalist tem um link pra Danube Delta, mas quase não tem fotos.

 

Piatra Craiului, em Zarnesti, Transilvânia

Um lugar de grandes belezas naturais, tanto dentro do parque quanto nos arredores onde há algumas casas de campo que o dono tem vistas incríveis. Pelo TripAdvisor dá pra ter uma boa ideia. Gostaria de ter passarinhado com tranquilidade, e também fotografado as flores. Ficava pensando que eu estava no velho mundo, um lugar de bruxas, fadas e vampiros. Quem sabe a gente volta pra lá num outro momento. A cidade de Zarnesti é pequena, tem poucas opções de hospedagem. https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g317135-d622638-Reviews-Piatra_Craiului_National_Park-Transylvania.html

 

A região de Brasov

A cidade de Brasov e a região são simpáticas. É um dos destinos de neve no inverno. O teleférico funciona no verão também, a vista e as flores são lindas. Pra quem tiver curiosidade, é um bom ponto para visitar o Castelo de Bran (Drácula), fica a meia hora da cidade.

 

Transfagarasian

Deve ser uma das estradas mais cênicas do mundo. Só porque a Romênia é terceiro mundo que não tem a divulgação apropriada. Construída na década de 1970 pelo famoso Ceaucescu pra fins militares (preocupação com deslocamento militar no caso de uma invasão russa), acabou se transformando num roteiro lindo. Tive que tirar meu chapéu pro pai do Cris, que insistiu pra gente ir. Estávamos pensando em pular, porque não encontrávamos muita informação, não sabíamos se a estrada estava em condições ruins, o pai do Cris estava com um problema no joelho. Por fim fomos, e foi lindo.

Saindo de Zarnesti dá 1h30 até o início da estrada, que acaba em Sibiu. Há placas indicando, mas o caminho é bem reto, não tem como se perder. Os quilômetros mais próximos de Zarnesti são os mais incríveis, alguns até acham melhor rodar no sentido contrário. No dia que fomos estava um céu azul, muitos romenos passeando. Em locais com riachinhos ou algo do tipo os carros paravam mesmos em ter muito acostamento, então não é uma rodovia de alta velocidade, é um trajeto de passeio mesmo, pra se dirigir devagar e com cuidado.

Fora as ovelhas, não sei o que tem de fauna, mas o cenário é magnífico. http://www.uncover-romania.com/visit-romania/travel-ideas/top-roads-in-romania.html

https://www.tripadvisor.com/ShowTopic-g294457-i2816-k4392444-Transfagarasan_highway-Romania.html

 

Mina de Sal subterrânea em Slanic Prahova (Unirea Salt Marine)

Se você estiver na região, é um passeio que vale a pena fazer. Pelas fotos dá pra ter uma boa ideia. Saguões com o pé direito colossal, outro momento pra ter um pouco do gostinho de O Senhor dos Anéis. Não há muito o que fazer dentro da mina, é pela oportunidade de andar num lugar tão inusitado. https://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g3178792-d3138263-r209570647-Unirea_Salt_Mine-Slanic_Prahova_County_Southern_Romania.html

 

Vale a pena viajar pra Romênia?

A Romênia é um país lindo, mas tem um problema grave. Apesar de ser Europa, é terceiro mundo. Meus sogros não deixavam malas no carro porque diziam que podiam roubar. Com frequência o serviço é ruim, atrapalhado, mal humorado ou até tentam ser desonestos.

O Cris foi pagar um estacionamento, a moça errou no troco, o Cris avisou que ela tinha devolvido dinheiro a menos e ainda teve que ficar discutindo com ela, explicando por que a conta dela estava errada. Na hora de devolver o carro passamos por um perrengue de uns 40 minutos porque a funcionária usou o cartão de crédito errado e não conseguia desfazer a operação. Imagine que a gente parou numa padaria, o Cris desceu, enquanto esperávamos ele voltar apareceu um cara pra dizer que quando meu sogro abriu a porta do carro encostou no carro dele e que tinha ficado uma marquinha, aqui, óh. Um rapaz tentando brigar com um senhor de mais de 70 anos. O trânsito nas estradas é tenso, nas cidades mais tenso ainda. As pessoas correm bastante, não dão seta, colam, estacionam em tudo quanto é lugar proibido. Na pousada de Zarnesti, mesmo a gente avisando no dia anterior que tínhamos horário pra sair, o café da manhã levou 40 minutos pra ser servido. A mulher fazia tudo na hora, com simpatia e boa vontade, mas sem qualquer noção de linha de produção. O Museu de Artes Romenas, em Bucareste, a capital do país, estava com o ar-condicionado quebrado. Várias obras bonitas pra ver, mas você não aguentava, estava um forno. Papeando com um funcionário, eles nos disseram que falam pros chefes, mas que ninguém resolve. Passamos por alguns restaurantes que a comida levou mais de meia hora pra chegar, alguns quase 1h. A gente brincava de “Sorria, você está na Romênia”.

Bucareste, conhecida como Pequena Paris, tem vários trechos lindos, que realmente lembram Paris. Outros bem deteriorados.

É um país com muito menos estrutura turística do que Espanha ou França. De não ter banheiros públicos nem mesa de piquenique num dos parques mais famosos do país, o tal Piatra Craiului.

A culinária tem influência camponesa, é um país de camponeses. Tem as tais sopas azedas, as chorbas, que eu adorei, comeria todos os dias. E tem os tais mititei, algo como uma kafta mais macia e molhadinha, muito bom. Mas não há pratos requintados ou surpreendentes.

A volta pro Brasil era por Paris. Depois de passar pelo banheiro do aeroporto internacional de Bucareste, que parecia de rodoviária, foi impossível não ficar contemplando os banheiros do aeroporto de Paris: lindos, modernos, luminosos, coloridos. Na hora de ir comprar comida, entreguei meu cartão e ouvi um “Merci, Mademoiselle”, fiquei até comovida.

Há cenários maravilhosos, a Transfagarasan é incrível, e também topamos com vários romenos simpáticos. Mas quem vai deve ter em mente que a Romênia é uma Europa que não é Europa. É uma Europa sem muito traquejo, estrutura e experiência em lidar com turistas. Será comum topar com gente ineficiente, ou até impaciente e rude. Quem vai deve se preparar pra um clima de terceiro mundo em cenário de natureza europeia.