Texto e fotos: Claudia Komesu

Me auto-convidei pra ir pra Guaratuba com o Emerson Kaseker. Como quem pede carona pro metrô. Isso porque era o mesmo final de semana que eu já havia combinado de ir para Dourado com o Luiz Rondini. Mas sabem o que é a oportunidade: Dourado eu sei como ir; quando teria uma outra chance de conhecer as aves do Paraná?

Convidamos o Luiz, mas ele preferiu manter a programação. Me desculpei com o Cal. Com a família estava tudo certo, porque eles já sabiam que eu ia deserdar de Campos do Jordão para fotografar passarinho. O onde não importava tanto.

Viajamos de madrugada para Curitiba, onde fomos recepcionados pela irmã e pelo cunhado do Emerson. Os planos eram ficar na Reserva Volta Velha, mas como a casa de Guaratuba estaria livre, fomos pra lá.

Chuva, muita. Fim de tarde da sexta chuva moderada, mas choveu tanto de noite e pela manhã que o terreno da casa ameaçava alagar, e a Reserva Volta Velha alagou. Alguns contratempos com o carro do Emerson, soluções engraçadas. Chuva. Chuva de sair pra fotografar um pouquinho, volta a chover, volta pro carro.

Minhas outras espécies novas foram o urutau, muito bem localizado pelo Emerson; o bem-te-vi-pequeno; o anambé-de-bochecha-parda; a maria-da-restinga, o uí-piu. Finalmente uma foto do sabiá-coleira (a do Wiki era do Cris, e eu tirei agora que ele fez perfil); e uma foto do neinei. E o bicudinho-do-brejo! (já falo dele). Mas essas foram as novidades pra quem já tem 440 espécies registradas. Mesmo com toda a chuva, vimos umas 60 espécies passarinhando num final de dia (sexta), sábado com contratempos, domingo com chuva de novo, e segunda de manhã.

Além da estradinha do km 20 e dos brejos do bicudinho, descobrimos uma região mais aberta, com mangue e campos. Paramos por causa de um neinei, mas logo pousou um papa-lagarta-acanelado, maria-da-restinga, um aracuã voou mas não deu chance e uma ariranha veio nos olhar (mas também sem chance pra foto).

A cidade tem potencial. Daqui a alguns dias o Emerson deve terminar de postar as fotos, mas a estimativa é que a lista da cidade passe de 20 para umas 80 espécies.