Em julho eu, meu marido e meu enteado fomos pra São Francisco, via Los Angeles. Fizemos uma rápida passagem por Los Angeles. Dois dias para revisitar o Getty Center, passar em lojas de eletrônicos, conhecer o Griffith Observatory. Ficamos no bairro japonês, no Myako Hotel https://www.miyakoinn.com/en. Então pegamos um carro e seguimos para Sequoia e Kings Canyon Nationa Parks.

Uma noite no Wuksachi Lodge, depois em Cedar Grove, e por fim no John Muir Lodge. Pela geografia dos parques (que são grudados um no outro), essa sequência nos permitia conhecer os pedaços do parque sem correrias para voltar aos lodges.

O Wuksachi é o que fica mais perto da famosa General Sherman Tree, a árvore com mais volume de madeira, com 83 metros (mas não é a mais alta. A mais alta parece ser outra sequoia, a Stratosphere Giant, com 112 metros).

Cedar Grove fica na beira de um riacho, um local bonito, num ponto mais afastado do parque, com muita gente acampando, mas bastante precário na parte de alimentação.

John Muir Lodge é mais perto de um dos limites do parque. Há restaurante e lojas. Na área de Grant Grove há várias sequoias. Nas estradas dos arredores há paredões de pedra e vales muito bonitos. Havia uma área com flores roxas, muitas, pelo o que investiguei eram Yerba Santa (Eriodictyon californicum), ainda que nenhuma foto do Inaturalist as mostrasse com a profusão que vimos.

Perto do John Muir Lodge há um local chamado Kings Canyon Panoramic Point. Basta pegar a estrada (de carro) que passa ao lado do lodge, e ir subindo. No final da estrada há uma área de estacionamento de carros e a trilha para chegar ao ponto panorâmico. Nessa trilhinha vimos Dark-eyed Junco, Black Headed Grossbeak (fêmea), Moutain Chickadee, Brown Creeper, White-headed Woodpecker, Green-tailed Towhee, Willow Flycatcher, MacGillivray’s Warbler, Townsend’s Solitaire (jovem).

Em outras áreas do parque tínhamos visto Mallards, Song Sparrow, Accorn Woodpecker, American Robin, Mountain Quail, Red-breasted Sapsucker, Red-tailed Hawk, Steller’s Jay.

Também vimos e fotografamos veadinhos, alguns esquilos e chipmunks que eu não tenho certeza da espécie, lagartos, flores, fungos e insetos.

Saímos de Kings Canyon e fomos para Monterey revisitar o aquário e fazer um passeio para ver baleias e golfinhos.

Monterey é uma cidade pequena e turística, e não é fácil conseguir acomodações. Em 2016 havíamos ficado num Airbnb na cidade ao lado, a 20 minutos. Dessa vez conseguimos um Airbnb em Monterey, na casa de um casal muito simpático, Kelly e David. Havia um quarto para a gente, outro pro Daniel, banheiro, café da manhã no capricho. Eles moram lá e a cozinha é compartilhada com eles, mas você não pode cozinhar. E, o mais importante, eles não aceitam fumantes. Um lugar bem agradável.

https://www.airbnb.com.br/rooms/5860442

O aquário estava incrível como da outra vez, é um lugar que vale a pena ir. A entrada é cara (na faixa de US$ 50), mas vários Airbnb oferecem dois passes. Não se preocupe que você não está fazendo nada ilegal, há um esquema de fidelidade em que as pessoas pagam uma anuidade e têm direito a dois passes para visitantes.

Este é um vídeo com alguns minutos de balé de sardinhas e as incríveis águas-vivas:

Nosso passeio para ver baleias não foi como em 2016, infelizmente não tivemos a sorte de topar com o bando de 2.000 golfinhos, e as aparições das baleias foram um pouco tímidas. Neblina, mar agitado, algumas ondas que davam a frio no estômago de montanha-russa. Mas é sempre uma boa aventura. De aves vimos Black-footed Albatross, Pigeon Guillemot, Pelagic Cormorant, Brown Pelican, Western Gull, Great Egret, Sooty Shearwater

Tentamos visitar Point Lobos, mas a fila para entrar estava absurda, era um sábado de férias. Em outubro de 2016 não passamos por isso. Seguimos rodando pela estrada e vimos alguns pontos com vista bonita, onde era possível parar o carro. Pudemos contemplar um pôr do sol impressionante e tiramos muitas fotos.

Após ver as lontras no aquário estávamos com bastante vontade de vê-las na natureza. O Cris pesquisou, e leu que Moss Landing State Beach, num local bem próximo, as lontras eram vistas com frequência. Fomos pra lá e logo de cara topamos com duas lontras num laguinho ao lado do asfalto. Tiramos várias fotos e já estávamos pra ir embora quando vimos um diálogo entre dois carros “Por que você está gastando tempo com essas lontras. Tem mais de 25 pra lá”. O Cris foi pedir informação e descobriu que se seguíssemos pela estradinha, havia um ponto com muitas lontras. Elas não estavam tão próximas quanto aquela dupla “mas com essas lentas que vocês estão, com certeza não terão problema”, nosso informante falou.

Em Moss Landing, além de nos divertirmos com as lontras, pudemos ver algumas aves: Barn Swallow, Marbled Godwit, Long-billed Curlew, Least Sandpiper, Willet, Snowy Egret, Snowy Egret.

De Monterey fomos para São Francisco, o trecho final da viagem. Para São Francisco não tínhamos uma programação rígida. Eram apenas cinco dias para zanzar pela cidade. Destaques:

– O museu de ciências, o Exploratorium. Apesar do nome, não é bem um museu, mas é mais para uma oficina em que as pessoas são incentivadas a tocar, testar, interagir. Agora em julho havia muitas crianças, menino e meninas, se encantando com a ciência. De encher o peito de alegria. https://www.exploratorium.edu/

– Outro lugar incrível é o California Academy of Sciences. Há um túnel aquático fabuloso, em que você pode ver grandes peixes amazônicos como o pirarucu de um ângulo bastante inusitado, de baixo pra cima. Os outros aquários são bem interessantes também. Há uma esfera que simula um pouco de uma floresta tropical, você vai subindo as rampas e vê a vegetação, borboletas (vivas) e até algumas aves como o gaturamo-verdadeiro, tecelão, araras. A California Academy os Sciences também tem o mérito de ser apoiador do Inaturalist, e vimos uma menção ao site. https://www.calacademy.org/

Na exposição sobre florestas tropicais, uma das plaquinhas tinha fotos do colega birdwatcher Dario Sanches, muito legal! Não perguntei pra ele, mas pelo link citado na foto, as fotos vieram do Wikimedia Commons.Uns anos atrás o Dario contou que estava compartilhando muitas imagens da natureza brasileira no Wikimedia Commons, e que era algo que tinha aprendido sobre a importância graças a seu filho. Parabéns, família Sanches!

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:GATURAMO-VERDADEIRO_macho_(Euphonia_violacea).jpg

– Esse é um passeio manjado, mas endosso que vale a pena: alugue uma bicicleta e cruze a Golden Gate. Uma das faixas que antes era de pedestres agora é só de bicicletas. A vista é incrível, venta muito, é emocionante. Você não precisa voltar pedalando, pode chegar do outro lado e pegar um ferry, que lhe deixará próximo de uma das lojas onde você pode devolver as bicicletas. A única observação é ir preparado para pegar alguns trechos mais íngremes, em que ou você tem muito fôlego (como o Daniel), ou está com uma bicicleta elétrica (como o Cris), ou então vai ter que descer e empurrar bicicleta, que foi o que eu fiz.

Da outra vez fomos ao Museu Asiático, que também é excelente, mas com o Daniel sabíamos que não podíamos exagerar na dose de museus.

Da parte culinária destaques para o The House, http://www.thehse.com/, que ficava perto do Airbnb onde estávamos.

Não tão perto tinha o Ryoko, muito bem avaliado e com a vantagem de ficar aberto até tarde. Desses lugares que você desce uma escada e logo está num porão mal iluminado com músicas black dançantes, gostamos bastante.

https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g60713-d360083-Reviews-Ryoko_s_Japanese_Restaurant_Bar-San_Francisco_California.html

O Hot Sauce and Panko To Go tinha ótimas asinhas de frango, com molho de gengibre, e excelentes panquecas. https://www.yelp.com/biz/hot-sauce-and-panko-san-francisco

Esses três são em São Francisco. Em Los Angeles, destaque para o The Morrison https://www.yelp.com/biz/the-morrison-los-angeles. Hambúrgueres e sobremesas muito boas.

Uma das grandes vantagens das cidades grandes nos Estados Unidos é poder sair para zanzar pela cidade e, a qualquer momento, você pode consultar o Yelp e encontrar um ótimo lugar pra comer. Qualquer lugar com centenas de avaliações e mais de 4,5 estrelinhas é altamente confiável.

Na parte de compras, tanto São Francisco como Los Angeles não parecem ser bem servidos em lojas do tipo Best Buy. Tanto a Best Buy como a Fry’s, achamos fracas. Em São Francisco uma loja que eu adoro é a Rei, na Brannan St. É uma loja em que você pode comprar roupas, calçados, mochilas, acessórios – tudo focado na vida outdoor.

Em São Francisco ficamos neste apartamento: https://www.airbnb.com.br/rooms/2965433. Fica no bairro italiano, há muitos restaurantes por perto. É grande, bem decorado, vista linda e é barato. Por quê? Porque o acesso é por uma escadona grande, como se fosse segundo andar. O Cris achou que não foi nada tão ruim, mas o fato é que ele não ajudou a carregar as malas nem pra subir nem pra descer (ele estava cuidando de outras coisas, esse trabalho ficou pra mim e pro Daniel). São Francisco é uma cidade cheia de ladeiras, então a maioria dos passeios a pé vai envolver alguma ladeira, facilmente contornável por um Uber se você cansar. Apesar das escadas, gostamos bastante do apartamento, recomendo.

O retorno pro Brasil teve várias coisas atrapalhadas, que incluem perder o voo da volta, e depois voo cancelado no México. Mas no final deu tudo certo e já estamos com saudades de viajar juntos.

 

Viagens fora do Brasil (+)