Andorinha-do-rio (Tachycinetta albiventer)
Andorinha-do-rio (Tachycinetta albiventer)
Anhuma (Anhuma cornuta)
Anhuma (Anhuma cornuta)
Arara-vermelha (Ara chloroptera)
Arara-vermelha (Ara chloroptera)
Ariramba-da-capoeira (Galbula cyanescens)
Ariramba-da-capoeira (Galbula cyanescens)
Bacurau-da-praia (Chordeiles rupestris)
Bacurau-da-praia (Chordeiles rupestris)
Ferreirinho-estriado (Todirostrum maculatum)
Ferreirinho-estriado (Todirostrum maculatum)
Gralha-violácea (Cyanocorax violaceus)
Gralha-violácea (Cyanocorax violaceus)
Maitaca-de-cabeça-azul (Pionus menstruus)
Maitaca-de-cabeça-azul (Pionus menstruus)
Pale-eyed Blackbird (Agelasticus xanthophthamus)
Pale-eyed Blackbird (Agelasticus xanthophthamus)
Papagaio-campeiro (Amazona ochrocephala)
Papagaio-campeiro (Amazona ochrocephala)
Papagaio-moleiro (Amazona farinosa)
Papagaio-moleiro (Amazona farinosa)
Periquito-testinha (Brotogeris sanctithomae)
Periquito-testinha (Brotogeris sanctithomae)
Pica-pau-amarelo (Celeus flavus)
Pica-pau-amarelo (Celeus flavus)
Pomba-galega (Patagioenas cayennensis)
Pomba-galega (Patagioenas cayennensis)
Rapazinho-estriado-do-oeste (Nystalus obamai)
Rapazinho-estriado-do-oeste (Nystalus obamai)
Saí-amarela (Dacnis flaviventer)
Saí-amarela (Dacnis flaviventer)
Saíra-ouro (Tangara schrankii) 2
Saíra-ouro (Tangara schrankii) 2
Saripoca-de-coleira (Selenidera reinwardtii)
Saripoca-de-coleira (Selenidera reinwardtii)
Sete-cores-da-amazônia (Tangara chilensis)
Sete-cores-da-amazônia (Tangara chilensis)
Sovela-vermelha (Galbalcyrhynchus purusianus)
Sovela-vermelha (Galbalcyrhynchus purusianus)
Tracajá (Podocnemis unifilis)
Tracajá (Podocnemis unifilis)
Urubu-da-mata (Cathartes melambrotos)
Urubu-da-mata (Cathartes melambrotos)

 

Venha conhecer um dos melhores lugares para ver uma grande diversidade de aves da Amazônia

  • Texto e fotos: Adrian Eisen Rupp

Viajar pela região do Parque Nacional Manu é conhecer as profundezas da Amazônia intocada, sem perder o aconchego de uma boa cama e sem ter de abdicar de uma comida saborosa. Sendo uma das regiões mais ricas em biodiversidade do planeta, tem infraestrutura para receber turistas de várias partes do mundo, proporcionando a muitas pessoas o espetáculo que é contemplar a vida selvagem da Amazônia, que vai desde observar centenas de psitacídeos de alimentando nos barreiros, ou ver as ariranhas nadando nos lagos formados pelo antigo curso do rio Madre de Dios.

  • Quando: de julho até outubro;
  • Este é um roteiro de 9 dias e 8 noites;
  • Preço: Entre em contato. O preço varia de acordo com o número de participantes;
  • O ponto de encontro é Puerto Maldonado. O trecho aéreo saindo de Guarulhos custa a partir de USD 400,00;
  • Contato: https://www.facebook.com/adrian.rupp?fref=ts
  • E-mail: birding@adrianrupp.com
  • Celular: 47 9604-2882

 

Manu Wildlife Center

A região compreendida pelos rios Alto Madre de Dios e Manu é reconhecida como Reserva da Biosfera Manu e é considerada um Patrimônio da Humanidade. Ela abriga a maior biodiversidade do planeta em um gradiente altitudinal que varia de 4200 até 150 metros de altitude, onde podem ser encontradas sete zonas ecológicas, desde a Puna úmida nas áreas mais altas até a várzea do rio Madre de Dios na Amazônia peruana. Eu também ofereço um roteiro na região andina do Parque Nacional Manu, e maiores detalhes são oferecidos aqui: http://virtude-ag.com/roteiro-peru-adrian-rupp/

A região amazônica do Manu ainda está muito preservada, em parte por ser protegida, e em outra por ainda não existirem estradas, sendo acessada apenas por transporte fluvial desde Puerto Colorado ou Puerto Atalaya.

Mesmo sendo uma área até pouco tempo inexplorada, o turismo de natureza é atualmente bem desenvolvido, contando uma infraestrutura que facilita a observação da vida selvagem e que serve de modelo para outros países que procuram atingir este segmento do mercado turístico.

O Manu Wildlife Center conta com 22 chalés construídos no meio da Floresta nas margens do Rio Madre de Dios, contando ainda com um excelente restaurante. Apresenta um sistema de trilhas que abrange os principais ambientes do oeste amazônico, onde se destaca o Tabocal e suas aves endêmicas. Além disso, conta com uma plataforma de observação de aves construída no topo de uma Sumaúna (Ceiba pentandra), e um esconderijo (blind) para observação de mamíferos que se alimentam de argila durante a noite. São cerca de 600 espécies apenas nas imediações do Lodge!

 

Itinerário

1º dia: Chegada em Puerto Maldonado e transfer para o hotel na cidade.

2º dia: Sairemos cedo do hotel em direção a localidade de Boca Colorado, e após alguns quilômetros pela rodovia Interoceânica temos de percorrer um trecho de estrada de chão e atravessar o rio Inambari com uma balsa, e depois de chegar ao vilarejo nas margens do rio Madre de Dios, continuaremos nossa jornada de barco subindo o rio até o Manu Wildlife Center. Pelo caminho é possível observar a fauna exuberante da Amazônia, como tartarugas-da-amazônia, pato-corredor, bacurau-da-praia, e outros animais. Chegaremos ao Lodge durante a tarde.

3º ao 7º dia: Teremos cinco dias inteiros dedicados a observação e fotografia de aves e toda vida selvagem no Manu Wildlife Center. Em uma das manhãs teremos a oportunidade de visitar o barreiro dos psitacídeos, onde teremos o nosso café da manhã enquanto aguardamos o início do show. São até 100 araras-vermelha, centenas de maitacas-de-cabeça-azul, papagaio-moleiro, papagaio-campeiro e eventualmente curicas-de-bochecha-laranja, tuim-de-bico-escuro, periquitão-maracanã e outros animais que podem vir se alimentar de barro. Além disso, concentraremos nossos esforços no excelente sistema de trilhas do Manu Wildlife Center, que cobre a maioria dos ambientes florestais que existem na região do Manu, e por isso apresenta elevada riqueza de espécies. Uma plataforma de observação que é acessada por uma escada metálica em espiral permite a observação de bandos mistos de aves que vivem no dossel da floresta, como choquinha-de-garganta-amarela, limpa-folha-de-asa-castanha, bem-te-vi-pequeno, pipira-de-bico-vermelho, furriel-de-encontro e muitas espécies de saíras e saís. Algumas das espécies mais exclusivas do oeste amazônico serão observadas na trilha da Taboca, como pica-pau-lindo, chororó-de-manu, maria-de-peito-machetado, ferreirinho-de-cara-branca, maria-cabeçuda, bico-chato-de-rabo-vermelho, limpa-folha-de-bico-vermelho, além de muitas outras, e se tivermos sorte como em 2014 um grupo de periquito-da-amazônia! Outra espécie interessante é o pinto-do-mato-de-fronte-ruiva, mas também temos chances de ver são inhambu-anhangaí, jacamim-de-costas-brancas, mutum-cavalo, pavãozinho-do-pará, tovacuçu-xodó, gralha-violácea, anambé-una, saripoca-de-coleira, cricrió, caburé-da-amazônia, surucuá-pavão, Bartlett’s Tinamou, sovela-vermelha, rapazinho-estriado-do-oeste, pica-pau-amarelo, arapaçu-ocelado, rapazinho-de-colar, chupa-dente-do-peru, anambé-de-cara-preta, maria-leque, dentre outros. Nas visitas aos Lagos Camungo e Blanco, observaremos algumas aves como sovela-vermelha, anhuma, cigana, garça-da-mata, ferreirinho-estriado, choquinha-estriada-da-amazônia, bem-te-vi-do-brejo, chincoã-pequeno, papa-formiga-do-igarapé e solta-asa, além de temros grandes chances de ver as ariranhas que vivem nesses lagos. As saídas noturnas proporcionam o avistamento de coruja-de-crista, murucututu, mãe-da-lua-parda, mãe-da-lua-gigante, bacurau-ocelado, e bacurau-rabo-de-seda.

8º dia: Este é o dia do retorno a Puerto Maldonado, com uma viagem de 3 horas de barco até Boca Colorado, e depois por via terrestre até Puerto Maldonado.

9º dia: Após o café da manhã teremos algumas horas para observar aves antes de irmos ao aeroporto de Puerto Maldonado e retornar ao Brasil. Algumas aves que observaremos são a polícia-inglesa-do-norte, cigarrinha-do-campo, aracuã-pintado, maria-peruviana, papa-mosca-uirapuru, choca-do-bambu, dentre outros.

Amazônia (+)