arredio-do-gravatá (Limnoctites rectirostris)
arredio-do-gravatá (Limnoctites rectirostris)
corredor-crestudo (Coryphistera alaudina)
corredor-crestudo (Coryphistera alaudina)
capacetinho (Poospiza melanoleuca)
capacetinho (Poospiza melanoleuca)
arredio-de-papo-manchado (Craniolecua sulphurifera)
arredio-de-papo-manchado (Cranioleuca sulphurifera)
caminheiro-grande (Anthus nattereri)
caminheiro-grande (Anthus nattereri)
canário-do-brejo (Emberizoides ypiranganus)
canário-do-brejo (Emberizoides ypiranganus)
cardeal-do-banhado (Amblyramphus holosericeus)
cardeal-do-banhado (Amblyramphus holosericeus)
viuvinha-de-óculos (Hymenops perspicilatus)
viuvinha-de-óculos (Hymenops perspicilatus)
tio-tio (Phacellodomus striaticollis)
tio-tio (Phacellodomus striaticollis)
patativa-tropeira (Sporophila beltoni)
patativa-tropeira (Sporophila beltoni)
noivinha-de-rabo-preto (Xolmis dominicanus)
noivinha-de-rabo-preto (Xolmis dominicanus)
sabiá-gonga (Saltator coerulescens)
sabiá-gonga (Saltator coerulescens)
papa-moscas-canela (Polystictus pectoralis)
papa-moscas-canela (Polystictus pectoralis)
maçarico-real (Theristicus caerulescens)
maçarico-real (Theristicus caerulescens)
papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta)
papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta)
veste-amarela (Xanthopsar flavus)
veste-amarela (Xanthopsar flavus)
pedreiro (Cinclodes pabsti)
pedreiro (Cinclodes pabsti)
peitica-de-chapéu-preto (Griseotyrannus aurantioatrocristatus)
peitica-de-chapéu-preto (Griseotyrannus aurantioatrocristatus)
saracuruçu (Aramides ypecaha)
saracuruçu (Aramides ypecaha)
tesoura-do-brejo (Gubernetes yetapa)
tesoura-do-brejo (Gubernetes yetapa)
pomba-do-orvalho (Patagioenas maculosa)
pomba-do-orvalho (Patagioenas maculosa)
caboclinho-de-chapéu-cinzento (Sporophila cinnamomea)
caboclinho-de-chapéu-cinzento (Sporophila cinnamomea)
caboclinho-de-barriga-vermelha (Sporophila hypoxantha)
caboclinho-de-barriga-vermelha (Sporophila hypoxantha)
caboclinho-branco (Sporophila pileata)
caboclinho-branco (Sporophila pileata)
caboclinho-de-barriga-preta (Sporophila melanogaster)
caboclinho-de-barriga-preta (Sporophila melanogaster)
caboclinho-de-papo-branco (Sporophila palustris)
caboclinho-de-papo-branco (Sporophila palustris)
dragão (Pseudolesites virescens)
dragão (Pseudolesites virescens)
coleiro-do-brejo (Sporophila collaris)
coleiro-do-brejo (Sporophila collaris)
caboclinho-de-papo-escuro (Sporophila ruficollis)
caboclinho-de-papo-escuro (Sporophila ruficollis)

 

Todos os sporophilas do Sul, mais as outras especialidades da região

  • Texto e fotos: Adrian Eisen Rupp (Biólogo ornitólogo e guia de observação de aves)

O que é?

É uma viagem que organizei cujo foco é fotografar todas as espécies de Sporophila que ocorrem nos campos sulinos, dentre as quais estão os caboclinhos, que inspirou o nome desta expedição. Apesar do foco nos caboclinhos, a viagem passa por diversos ambientes campestres do sul do Brasil, propiciando fotografar especialidades de cada região.

A primeira região visitada é conhecida como Planalto Serrano para os catarinenses e Campos de Cima da Serra para os gaúchos, e corresponde as áreas altas da bacia hidrográfica do rio Pelotas e rio Canoas. Nesta região vivem o caboclinho-de-barriga-preta, o caboclinho-de-barriga-vermelha, e a recém descrita patativa-tropeira. As especialidades desta região são o grimpeirinho e o pedreiro, endêmicos do sul, mas outras espécies embelezam ainda mais este roteiro, como o veste-amarela, a noivinha-de-rabo-preto, o papa-moscas-do-campo, o canário-do-brejo, o azulinho, o quem-te-vestiu, o caminheiro-grande, e o tio-tio.

Seguindo viagem, uma visita rápida a Granja do Sossego no município de Santo Ângelo agrega algumas espécies a esta viagem pelo sul. Este é ponto para fotografar o caboclinho-branco, além é claro de outras espécies bacanas que vivem na mesma região, como o barulhento, gavião-peneira, e mocho-dos-banhados.

Tendo como destino o município de Uruguaiana, no caminho paramos em uma fazenda de cultivo de arroz vizinha da Reserva Biológica do Banhado São Donato. Ali, mesmo da borda do banhado, é possível ver diversas aves aquáticas, mas as que mais encantam são o coleiro-do-brejo, o tricolino, a viuvinha, o carretão e o arredio-de-papo-manchado.

Já em Uruguaina, o principal objetivo é o caboclinho-de-papo-escuro, mas esta região é especial demais para visarmos apenas ele. Encontros com a águia-chilena são frequentes, aves aquáticas são abundantes ao longo das plantações de arroz e represas, mas a formação tipo parque Espinilho é o grande atrativo e muitas espécies brasileiras são encontradas apenas no Parque Estadual do Espinilho, em Barra do Quaraí, município vizinha de Uruguaiana. As principais espécies são o arapaçu-platino, o corredor-crestudo, o rabudinho, o coperete, o arredio, o tio-tio-pequeno, a guaracava-modesta, o bico-duro, e o ameaçadíssimo cardeal-amarelo.

Da Uruguaiana, a partimos em direção ao litoral, mas especificamente o município de Rio Grande, mas antes uma parada em Bagé para clicar o caboclinho-de-chapéu-cinzento. Já em Rio Grande, o principal objetivo é conseguir uma boa foto do caboclinho-de-papo-branco, e obviamente conseguir mais alguns cliques de espécies magníficas do sul, como a maçarico-real, o cardeal-do-banhado, viuvinha-de-óculos, gavião-do-banhado, joão-da-palha, e o bate-bico.

Itinerário

1º dia: chegada em Florianópolis e transfer para o município de Lages. Passarinhada nos campos próximos da cidade.

2º dia: Passarinhada na Fazenda Pai João, em Capão Alto. Pernoite em Vacaria.

3º dia: Passarinhada nos campos naturais dos municípios de Vacaria e Bom Jesus. Pernoite em Vacaria.

4º dia: Viagem até Santo Ângelo, com passarinhada na parte da tarde na Granja do Sossego. Depois de clicarmos as aves desejadas, continuamos viagem até São Borja onde será o pernoite.

5º dia: Passarinhada no banhado São Donato antes do meio dia, nos municípios de Maçambara e Itaqui. Almoço em Itaqui e seguimos viagem até Uruguaiana, onde será o pernoite.

6º dia: Passarinhada em Barra do Quaraí (Parque Estadual do Espinilho e arredores) pela manhã e em Uruguaiana na parte da tarde. Pernoite em Uruguaiana.

7º dia: Viagem até o município de Bagé, específica para o caboclinho-de-chapéu-cinzento. Pernoite em Bagé.

8º dia: Após ter êxito com o caboclinho-de-chapéu-cinzento, continuamos a viagem até Rio Grande, com passarinhada na parte da tarde no trecho norte do Banhado do Maçarico. O pernoite será na praia do Cassino.

9º dia: Passarinhada no trecho sul do Banhado do maçarico. Pernoite na praia do Cassino.

10º dia: Viagem até Porto Alegre, tendo o aeroporto Salgado Filho como destino final.

Quando ir: Da segunda quinzena de novembro até fevereiro.

Como ir: A viagem começa no aeroporto de Florianópolis e termina no aeroporto de Porto Alegre. O transporte terrestre pode ser feito no veículo do próprio cliente, com carro alugado, ou através da parceria que tenho com a Seledon Turismo que utiliza uma Land Rover Defender 110. Por conta disso, os preços variam.

Nível de dificuldade: Não há trilhas pesadas e tampouco terrenos íngremes para desbravar. No entanto é uma viagem longa, em que são percorridos cerca de 4.000 km em 10 dias.

Contato:

 

Roteiros para birdwatchers

Pampa