Meu interesse pelas aves começou tarde e de forma gradual. Sou formada em relações internacionais, sempre gostei de história e de viajar e minha vontade desde o começo era ser diplomata. Em 2005 fui para a Alemanha fazer meu mestrado numa pequena cidade próxima da fronteira com a Polônia, Cottbus. Morei lá por dois anos, fiz muitos amigos de outros países e percebi que no fundo não conhecia meu próprio país. Queria trabalhar com educação patrimonial e arqueologia. No ano seguinte, um estágio na Fundação Museu do Homem Americano, localizada no sertão do Piauí e que é uma das instituições responsáveis pela criação e conservação do Parque Nacional Serra da Capivara, mudou tudo. Lá conheci o que é a realidade de um parque nacional, as dificuldades de se manter um patrimônio da humanidade da Unesco e tive contato com pessoas incríveis que abriram minha cabeça para a importância de se preservar a parte ambiental para salvar a parte cultural, nesse caso as maravilhosas pinturas rupestres que são a razão pela qual o parque é reconhecido mundialmente.

Quando voltei para o Brasil quis estudar mais a fundo a tal biologia da conservação e fiz diversos cursos para me atualizar e conhecer melhor sobre esse tema. O interesse pelas aves veio durante minha 1a visita ao Pantanal, em 2008, quando vi as cenas mais inesquecíveis com araras azuis voando ao lado do carro na entrada da fazenda na qual iria ficar hospedada. A partir daí, com a ajuda do Wikiaves me tornei uma observadora frenética.

Em 2010 fui ao Tocantins para prestar um concurso público e aproveitei para conhecer o que se tornou um de meus lugares favoritos para fugir de São Paulo: o Jalapão. Por uma dessas coincidências da vida, uma foto mudou meu status de observadora de aves para ornitóloga. Com ajuda de um amigo fui atrás da minha espécie inspiradora, Cypseloides fumigatus, mais duas vezes no mesmo lugar e voltei para faculdade, agora numa área totalmente nova, ciências biológicas. Nunca imaginei que aos vinte e oito anos mudaria minha carreira dessa forma, mas não trocaria essa escolha por nada.

Hoje tenho um projeto de iniciação científica apoiado pela minha faculdade para estudar C. fumigatus e pretendo seguir pesquisando a biologia reprodutiva de aves da família Apodidae.

 

 

Participação no Virtude-AG

 

Amigos do Virtude-AG