160 participantes, mais a cobertura da Record, do G1 e jornais de Piracicaba

Um dia que começou nublado, mas depois abriu céu azul, voltou a nublar um pouco, mas não choveu. Tempo agradável, muitas aves às 11h, mesmo depois de vários barcos terem cruzado as águas de lá pra cá.

E não foi só quantidade: raridades como o socoí-amarelo e a paturi-preta apareceram, além dos sempre cobiçados águia-pescadora, gavião-do-banhado e marrecão. Contando as fotos postadas no Wikiaves, mais algumas observações pessoais chegamos a 76 aves! Se fosse um dia de levantamento, seria fácil chegar a mais de 100. Não contei aves como cambacica, corruíra, beija-flor-tesoura, pica-pau-do-campo, porque não as vi e não tem fotos deles postadas, mas provavelmente estavam lá.

Havia muitas aves. Mas e as pessoas? Afinal, desta vez as aves eram apenas um pretexto. O objetivo principal desse encontro era mostrar que nos importamos com o Tanquã e não concordamos com a leviandade que o Departamento Hidroviário tem falado do Tanquã (e não falado da destruição na mata da Fazenda Barreiro Rico, lar do muriqui-do-sul, ameaçado de extinção), ou o Consórcio Themag/Ebei/Vetec/Umah apresentas as compensações ambientais sem orçamento, responsáveis ou detalhamento dos projetos.

As pessoas também deram um show! Estimamos 160 participantes. Mais de 130 assinaram a lista de presença. Foi uma participação maior do que esperávamos, e um clima muito bom, de amizade e solidariedade. Pessoas tranquilas e sorridentes falando do Tanquã, quase nenhuma reclamação, todo mundo na mesma sintonia “esse lugar é muito bonito e importante, e não pode ser tratado dessa forma”.

A Record e o G1 estiveram presentes, e jornais de Piracicaba também noticiaram o evento.

É sempre bom deixar claro: não somos contra o desenvolvimento. Mas somos contra projetos feitos de qualquer jeito, e a barragem tem vários motivos para ser questionada: ela não impede a hidrovia Tietê-Paraná, ela é apenas um ramal. São apenas 50km. Não foi feito o estudo sobre como seria ser uma ferrovia em vez da hidrovia. Não foi feito o estudo de como seria a integração da hidrovia com os meios de transporte terrestres. O valor ambiental do Tanquã foi subestimado, e da Barreiro Rico eles tentam evitar o assunto. Eles não sabem quanto vai custar a obra: já falaram em R$ 600 milhões, R$ 1,5 bilhão, R$ 2 bilhões. Os projetos de compensação ambiental pela destruição têm verbas insuficientes, não têm responsáveis, cronograma, nem detalhamento das ações. A quantidade de famílias do Tanquã é subestimada. Não há garantias de como será a vida deles depois que mudarem de local, e como eles irão sobreviver até o local voltar a ter abundância de peixes. O Consórcio não está prevendo compensação para os rancheiros que vão perder as casas. Não somos as pessoas com conhecimento técnico suficiente para dizer que a barragem não pode ser construída, mas como cidadãos podemos falar tranquilamente “um projeto com tantas falhas, e com tanto descaso pela natureza e pelas pessoas, assim não pode ser feito”.

O evento do dia 23 foi um sucesso, mas é só uma ação de apoio para uma questão que está longe de ser resolvida. Estamos acompanhando as notícias. No dia 24 de março os Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí divulgaram um parecer pedindo à Cetesb para não permitir o prosseguimento das obras, e uma lista grande das diversas falhas dos estudos apresentados pelo Departamento Hidroviário. http://www.comitespcj.org.br/images/Download/PT_GTEmp-02-14.pdf

Sabemos que é uma luta difícil contra interesses poderosos, mas com a ajuda dos meios de comunicação e do apoio dos cidadãos, será mais complicado o Departamento Hidroviário e o Consórcio conseguirem aprovação de um projeto que tem tantas falhas de análise e planejamento.

Obrigada a todos que têm acompanhado e lutado contra uma obra bilionária de resultado duvidoso, capaz de causar uma destruição irreversível.

Compilado por Claudia, a partir das fotos postadas no Wikiaves, e mais algumas observações pessoais. Não entraram aqui aves como cambacica, pica-pau-do-campo, beija-flor-tesoura, mas provavelmente estavam lá. Com aves como essa, seria fácil dar mais de 100 espécies – nesta lista há 74. A lista das aves do Tanquã pode ser vista aqui: http://taxeus.com.br/lista/2682

Acrescentar à lista a guaracava-grande e a garça-azul, que também foram registradas no dia mas ainda não estavam na lista do Taxeus. O Sergio Coutinho listou mais uma: o japacanim. Com essa são 75.

Nome comum Nome em Inglês
marreca-caneleira Fulvous Whistling-Duck
irerê White-faced Whistling-Duck
asa-branca Black-bellied Whistling-Duck
pé-vermelho Brazilian Teal
marreca-toicinho White-cheeked Pintail
marreca-cricri Silver Teal
paturi-preta Southern Pochard
marrecão Rosy-billed Pochard
tuiuiú Jabiru
cabeça-seca Wood Stork
biguá Neotropic Cormorant
biguatinga Anhinga
socó-boi Rufescent Tiger-Heron
savacu Black-crowned Night-Heron
socozinho Striated Heron
garça-vaqueira Cattle Egret
garça-moura Cocoi Heron
garça-branca-grande Great Egret
maria-faceira Whistling Heron
garça-branca-pequena Snowy Egret
caraúna-de-cara-branca White-faced Ibis
coró-coró Green Ibis
tapicuru-de-cara-pelada Bare-faced Ibis
curicaca Buff-necked Ibis
colhereiro Roseate Spoonbill
urubu-de-cabeça-preta Black Vulture
águia-pescadora Osprey
gavião-do-banhado Long-winged Harrier
gavião-caramujeiro Snail Kite
gavião-caboclo Savanna Hawk
gavião-carijó Roadside Hawk
carão Limpkin
sanã-parda Rufous-sided Crake
frango-d’água-comum Common Gallinule
frango-d’água-azul Purple Gallinule
quero-quero Southern Lapwing
pernilongo-de-costas-brancas White-backed Stilt
maçarico-pintado Spotted Sandpiper
jaçanã Wattled Jacana
rolinha-roxa Ruddy Ground-Dove
pombo-doméstico Rock Pigeon
pombão Picazuro Pigeon
anu-preto Smooth-billed Ani
martim-pescador-grande Ringed Kingfisher
martim-pescador-verde Amazon Kingfisher
martim-pescador-pequeno Green Kingfisher
caracará Southern Caracara
carrapateiro Yellow-headed Caracara
periquito-de-encontro-amarelo Yellow-chevroned Parakeet
choca-barrada Barred Antshrike
choró-boi Great Antshrike
arapaçu-de-cerrado Narrow-billed Woodcreeper
joão-de-barro Rufous Hornero
cochicho Firewood-Gatherer
curutié Yellow-chinned Spinetail
ferreirinho-relógio Common Tody-Flycatcher
suiriri-cavaleiro Cattle Tyrant
neinei Boat-billed Flycatcher
suiriri Tropical Kingbird
lavadeira-de-cara-branca Black-backed Water-Tyrant
lavadeira-mascarada Masked Water-Tyrant
freirinha White-headed Marsh Tyrant
andorinha-pequena-de-casa Blue-and-white Swallow
andorinha-do-campo Brown-chested Martin
sabiá-do-campo Chalk-browed Mockingbird
caminheiro-zumbidor Yellowish Pipit
tico-tico Rufous-collared Sparrow
garibaldi Chestnut-capped Blackbird
chopim-do-brejo Yellow-rumped Marshbird
sanhaçu-cinzento Sayaca Tanager
figuinha-de-rabo-castanho Chestnut-vented Conebill
canário-da-terra-verdadeiro Saffron Finch
tiziu Blue-black Grassquit
pardal House Sparrow

Relatos de passeios feitos no Tanquã