Abre-Pampa

No Brasil o Pampa é um bioma presente apenas no Rio Grande do Sul. Ocupa 2% do Brasil, mas representa 63% do Rio Grande do Sul. Apenas 0,4% fica em unidades de conservação. Nessa região de planície há 385 espécies de aves. Várias áreas do Pampa têm sido destruídas pela plantação de eucaliptos. Também há Pampa no Uruguai e na Argentina.

O que você pode ver: papa-piri (fantástico), cisne-de-pescoço-negro, viuvinha-de-óculos, narceja-de-bico-torto, piru-piru, corta-ramos, bate-bico, cardeal, veste-amarela, quem-te-vestiu, bichoita, curriqueiro, várias espécies de caboclinhos, maçaricos, aves marinhas.

Para quem: para qualquer um, desde iniciantes a birders experientes. As aves marinhas e a facilidade em ver as aves do banhado tornam o passeio fácil para quem está começando.

Sugestões de roteiro: Na viagem para o Uruguai, com o Alejandro Olmos, você chega de carro próximo à maioria dos destinos. Nas aves marinhas, em alguns casos era preciso andar sobre as rochas para se aproximar, mas bastava andar com cuidado e devagar. Várias aves nas praias de Puntal del Este, ao lado da avenida da balada, ou em lagoas a 15 minutos de Maldonado. É possível intercalar a passarinhada com passeios urbanos ou os cassinos, como o famoso Conrad.

Adrian Rupp mora em Santa Catarina, guia em diversos biomas, e está oferecendo um roteiro de 10 dias em busca de todas as especialidades do Pampa.

Cidades com boas oportunidades: Montevideo, Punta del Este, a praia de José Ignacio, Lagunas de Rocha, em Rocha. No Brasil: Mostarda, Tavares, em especial o Hotel Parque da Lagoa.

Guias ornitológicosAlejandro Olmos no Uruguai. No Brasil: Batista, em Tavares. Podem ser contactados pelo Wikiaves > menu Informações > Buscar usuários. Adrian Rupp mora em Pomerode – SC e também guia no Pampa.

Agradecimento especial ao Gilberto Sander Müller, o principal contribuinte com posts da região Sul.

 

Posts relacionados com o Pampa – em ordem cronológica de publicação