Aves comuns, cenas boas, luz bonita no parque urbano seguro e agradável, que abre às 6h todos os dias.

Informações gerais

Parque Villa Lobos: parque urbano localizado na zona oeste da cidade de São Paulo, ao lado do Shopping Villa-Lobos. O parque tem 732 mil m2, ciclovia, quadras, campos de futebol, playground e um pequeno bosque com espécies de Mata Atlântica. Há bicicletas para alugar na entrada do parque e nos fins de semana várias barraquinhas de comida. Dentro do parque há uma lanchonete que vende água de coco de verdade e geladinha.

O Villa-Lobos funciona todos os dias, das 6h às 18h. No horário de verão, até às 19h. Das 6h30 até umas 9h30 é hora do rush no parque, com filas de carros para entrar no estacionamento. Muita gente indo fazer o exercício matinal, chega a ser difícil encontrar um canto sossegado para passarinhar. Para fotografar é preciso assinar o termo de uso não comercial das fotos. Basta ir até a administração do parque, que funciona das 8h às 17h.

O Avistar, o maior encontro de observadores de aves da América Latina, é nesse parque, em maio. Nos dias do Avistar, quando há dezenas de birders espertos e competentes passeando pelo parque, o pessoal registra pavó, coruja-orelhuda, gavião-miúdo, gavião-de-cauda-curta, pica-pau-de-cabeça-amarela.

Relato do passeio em setembro

Passeio no Parque Villa-Lobos na tarde do dia 28 e manhã do dia 29 de setembro de 2011. O parque tem aquelas histórias bonitas como do Central Park, é um lugar que não era nada antes. O Villa-Lobos era um depósito de lixo e de entulho. Fizeram o parque na década de 1990, revitalizaram em 2004, e em 2011 saiu a notícia de que o parque ganhará uma ampliação de 20% da área, o terreiro de obras de um dos pontos do metrô linha amarela.

O pessoal mais experiente já viu espécies incomuns no parque. Eu sozinha só vi as mais comuns, como bem-te-vi, periquito-rico, tiê-de-topete-fêmea, pitiguari, juruviara, bem-te-vi-rajado, mas me diverti bastante com as fotos, especialmente do tiê-de-topete e do periquito-rico, porque foram aqueles momentos em que a ave está bem tranquila, sem se importar com você. No caso dos periquitos eu estava admirando a árvore toda florida, a câmera já estava na mochila, quando o casal pousou na minha frente e teve a bondade de esperar eu abrir a mochila e pegar a câmera, antes de começarem a se alimentar.

Teve uma ocasião em que vi uma primavera enquanto andava de bicicleta. Larguei a bicicleta no gramado e tentei fotografar a ave com o celular, imaginem como saiu.

O parque é um local agradável, bonito, seguro, e os funcionários do parque são gentis. Em finais de semana ensolarados o parque fica bastante cheio, mas ainda menos do que o Ibirapuera.

As fotos desse album são com uma Canon 50D e lente 100-400.

Fotografia em parques públicos

Para fotografar em parques públicos (qualquer tipo de foto, não só aves, ainda mais se sua câmera for grande) é preciso assinar o termo em que você declara que a foto não é para uso comercial. Se quiser fotografar no Villa-Lobos, quando chegar, procure a administração para assinar o termo. Fica aberta das 8h às 17h. Os seguranças têm a orientação de perguntar ao fotógrafo se ele tem a autorização, mas não se preocupe, diferente de outros parques eles são muito gentis. “Desculpe pelo constrangimento, mas é norma do parque, por favor, vá até a administração, é só assinar o papel, é tudo bem simples”. E eles usam rádio, então se você está em uma determinada área, depois de falar com um deles, você se torna invisível para os outros, porque eles se comunicam e avisam “PRA calça jeans camiseta verde mochila preta tem autorização”.