Passeio no Villa-Lobos, no passarinheiro horário das 11h às 16h. Apesar do calor e mormaço de distorcer as imagens, vi várias cenas bacanas.

 

  • Texto e fotos: Claudia Komesu

Não é o melhor horário. Mas como fiquei um tanto assustada com a quantidade de gente que tem no parque de manhãzinha, não consigo criar coragem de voltar ao parque cedo. E a verdade é que nos horários não recomendados, sempre vejo atividade de aves.

Fora o calor, de derreter os miolos.

Vi pela primeira vez um ninho e filhotes de sabiá-do-campo,

Filhotes de quero-quero, alguns bem pequenos, e fui atacada pelos pais. Dá medo mesmo. Eles não só dão rasante na sua cabeça, como gritam quando passam perto. Todos os adultos que vi vocalizavam muito pra todo mundo que passava, e mantinham uma postura meio curvada, tensa. Acho que é uma época difícil pra eles. Uma segurança do parque me contou que viu um gavião mergulhar, pegar um filhote, ser perseguido por uns 10 quero-queros adultos, mas conseguiu levar. Nós duas concordamos que é de dar dó, mas que a gente queria ter fotografado a cena.

E um belo momento de três filhotes já grandinhos de pardal, pedindo comida para um adulto com cara de mãe conformada com as exigências adolescentes. É a foto de abertura do post.

Os jacarandás-mimosos estão maravilhosos, mas não tive o prazer de ver periquitos-ricos se alimentando. Vi um bem-te-vi, muito estético no contraste das cores. Fotografei de dentro da lanchonete, enquanto almoçava um pão-de-batata e água de coco. Típico almoço de passarinheiro, com a diferença que geralmente é só água, e não água de coco geladinha.

Um casal de tesourinhas, tranquilos como sempre.

A primavera que mora lá continua lá.

Sabia que tinha no parque, mas pela primeira vez vi saí-canário, casal.

Bando grande de bicos-de-lacre na parte do parque que dá para a marginal. Pena que são tão ariscos. Um dia ainda consigo uma ótima foto, de preferência um ou mais namorando :o)

Aproveitem a primavera!

 

Informações gerais

O Villa-Lobos funciona todos os dias, das 6h às 18h. No horário de verão, abre às 5h30 e fecha às 19h. Soube que já começaram a abrir às 5h30.

Das 6h30 até umas 9h30 é hora do rush no parque, com filas de carros para entrar no estacionamento. É o melhor horário para ver aves, mas como tem gente demais, tenho ido depois das 9h.

Para fotografar é preciso assinar o termo de uso não comercial das fotos. Basta ir até a administração do parque, que funciona das 8h às 17h. Se você pretende ir sempre lá fotografar aves, provavelmente consegue uma autorização que dure durante alguns meses. A pessoa da administração lhe entregará uma cópia, e sempre que você for, assim que chegar mostre-a para um dos seguranças. Eles se comunicam por rádio, e geralmente isso é o suficiente para ninguém mais lhe abordar, mas às vezes esse processo falha e você tem que mostrar a autorização várias vezes.

O Parque Villa-Lobos tem 732 mil m2, ciclovia, quadras, campos de futebol, playground e um pequeno bosque com espécies de Mata Atlântica. Há bicicletas para alugar na entrada do parque e nos fins de semana várias barraquinhas de comida. Dentro do parque há uma lanchonete que vende água de coco de verdade e geladinha.

 

Seguem abaixo informações sobre o parque e a lista de aves, com base nas fotos postadas no Wiki e em registros meus.

Lista de aves em julho de 2012. Registro feito a partir das fotos postadas no Wikiaves e registros pessoais. A probabilidade de ver é um chute meu.

Espécie Nome Comum Registro foto Probabilidade de ver
Accipiter striatus gavião-miúdo x baixa
Streptoprocne zonaris taperuçu-de-coleira-branca x média
Syrigma sibilatrix maria-faceira x baixa
Coragyps atratus urubu-de-cabeça-preta x alta
Vanellus chilensis quero-quero x alta
Coereba flaveola cambacica x alta
Columba livia pombo-doméstico x alta
Patagioenas picazuro pombão x alta
Zenaida auriculata pomba-de-bando x alta
Pyroderus scutatus pavó x baixa
Piaya cayana alma-de-gato x alta
Paroaria dominicana cardeal-do-nordeste x baixa
Sicalis flaveola canário-da-terra-verdadeiro x alta
Zonotrichia capensis tico-tico x alta
Estrilda astrild bico-de-lacre x média
Falco femoralis falcão-de-coleira x baixa
Carduelis magellanica pintassilgo x média
Furnarius rufus joão-de-barro x alta
Molothrus bonariensis vira-bosta x alta
Basileuterus culicivorus pula-pula x média
Passer domesticus pardal x alta
Phalacrocorax brasilianus biguá x baixa
Celeus flavescens pica-pau-de-cabeça-amarela x média
Colaptes campestris pica-pau-do-campo x alta
Colaptes melanochloros pica-pau-verde-barrado x baixa
Dryocopus lineatus pica-pau-de-banda-branca x baixa
Aratinga leucophthalma periquitão-maracanã x média
Brotogeris tirica periquito-rico x alta
Diopsittaca nobilis maracanã-pequena x baixa
Forpus xanthopterygius tuim x média
Athene cunicularia coruja-buraqueira x média
Rhinoptynx clamator coruja-orelhuda x baixa
Conirostrum speciosum figuinha-de-rabo-castanho x média
Thlypopsis sordida saí-canário x média
Thraupis sayaca sanhaçu-cinzento x alta
Trichothraupis melanops tiê-de-topete x média
Theristicus caudatus curicaca x baixa
Amazilia lactea beija-flor-de-peito-azul x média
Eupetomena macroura beija-flor-tesoura x alta
Troglodytes musculus corruíra x alta
Turdus flavipes sabiá-una x baixa
Turdus leucomelas sabiá-barranco x média
Turdus rufiventris sabiá-laranjeira x alta
Fluvicola nengeta lavadeira-mascarada x média
Machetornis rixosa suiriri-cavaleiro x alta
Myiodynastes maculatus bem-te-vi-rajado x média
Pitangus sulphuratus bem-te-vi x alta
Pyrocephalus rubinus príncipe x média
Serpophaga subcristata alegrinho x baixa
Xolmis cinereus primavera x média
Cyclarhis gujanensis pitiguari x média