Diversas aves aquáticas nos arredores de Santiago, mesmo em abril, quando muitas aves migratórias já partiram.

Capororoca (Coscoroba coscoroba) Coscoroba Swan

 

Em abril de 2012 fui surpreendida pela notícia de que meu namorado passaria doze semanas no Chile a trabalho. Desespero à parte, imaginei o que veria em minhas passarinhadas por lá. Com a ajuda de alguns amigos descobri um guia que poderia me levar a lugares próximos a Santiago durante o dia enquanto ele trabalhava. Em meu primeiro contato com Gonzalo Gonzalez da Birding Chile ele me recomendou que fizéssemos um passeio pela costa, na foz do rio Maipo, área interessante para observar aves aquáticas e migratórias e que estavam na minha lista há muito tempo. Como estava amanhecendo muito tarde no final de abril, Gonzalo me buscou no hotel com sua 4×4 às 7h e saímos em direção à cidade de Santo Antonio, na costa do Pacífico, pouco menos de duas horas de carro de Santiago. Fomos parando no caminho em algumas pequenas lagoas até chegar a Santo Domingo.

Lá uma praia de areia muito escura, de origem vulcânica, estava repleta de Calidris Alba (maçarico-branco), cinco espécies de gaivota, Haematopus palliatus (piru-puri), Charadrius collaris (batuíra-de-colera) e Numenius phaeopus (maçarico-galego). Fomos andando pela praia até o estuário. Lá observamos narcejão, papa-piri, mergulhão-grande, cisne-de-pescoço-preto, chimango, batuíra-de-peito-tijolo, Sterna elegans (uma espécie de trinta-réis), marreca-oveira, as três espécies de carqueja que ocorrem no Brasil, além de pelicanos, biguás, mais gaivotas, colegial, andorinha-chilena, diuca.

De lá fomos até a cidade de Cartagena. Numa laguna próxima à principal praia da cidade observamos capororoca, marreca-pé-na-bunda, marreca-parda, marreca-colhereira, colegial, pernilongos, sargento.

Um lugar que havia sido indicado foi a Laguna El Peral, já na volta para Santiago, onde vimos marreca-de-cabeça-preta, colegial e andorinha-chilena.

Próximo a Santiago vimos pedreiro-dos-andes e gavião-asa-de-telha.

Fui em uma época em que muitas espécies já haviam migrado fugindo do frio, mas mesmo assim é um passeio que vale a pena. Além disso, o Chile é um país relativamente seguro e as pessoas são hospitaleiras.