Entre os vários parques de Porto Alegre, o Mascarenhas de Morais é um dos preferidos pelos birdwatchers da região, por ter uma biodiversidade grande e ser de rápido acesso.

Cardeal-do-banhado

Cardeal-do-banhado

 

  • Texto e fotos: Gilberto Müller

O parque possui uma área de 18 hectares, com ambiente de banhado, mata ciliar e campo. Na área central do parque, existem vários troncos de eucaliptos mortos, que servem de refeitório para os diversos pica-paus da área. Fica na zona norte da cidade, e tem a vantagem de ser uma zona menos perigosa do que a maioria dos outros parques abertos de Porto Alegre, e a menos de um quilômetro do aeroporto da capital.

Permite uma saída rápida, em um turno se faz uma observação completa do local, podendo tanto ser na parte da manhã, como à tarde. As aves variam de acordo com o período, e de acordo com a época do ano.

A observação é feita pelo perímetro do parque, de onde se avistam as aves do banhado e também da vegetação de uma forma confortável, pois o passeio é calçado e é mais alto do que o banhado, e permite o deslocamento sem o desconforto de pisar na lama.

Na primavera, se forma um ninhal de garças-brancas-grandes e também uma grande concentração de tapicurus.  As aves se reproduzem nesta época, e até o final do ano podem-se observar os filhotes, no rápido crescimento e muda de plumagens. Este ninhal é um dos atrativos mais interessantes, onde se pode observar a corte nupcial, a construção dos ninhos, e o crescimento dos filhotes, além de uma grande concentração de aves.

Nas fotos a seguir, uma coletânea de dois anos de visitação, individual e com o grupo do COAPOA, www.coapoa.org . Foram mais de dez visitas, em diversas épocas do ano, podendo apreciar várias fases do ecossistema, com aves jovens, em fase de reprodução e adultas.  Também algumas aves que são migratórias, e que só aparecem no verão, foram observadas e registradas.