Fui novamente à Cachoeira Grande para tentar registrar o saci (Tapera naevia) espécie que no local e possível ouvir bastante suas vocalizações, porém muito difícil de ver, o apelidei carinhosamente de “o fantasma de Magé”… Além de ser bem sucedido com o saci, consegui boas fotos de lindas espécies como o japacanim e o pica-pau-verde-barrado.

Japacanim (Donacobius atricapilla) Black-capped Donacobius

 

Depois de ter passado a semana mais quente do ano, aproximou-se uma frente fria mudando o fim de semana chuvoso e mais fresquinho. Sábado bastante nublado com uma chuvinha fina, decidi ficar em casa e esperar para ver se no domingo o tempo firmava. No domingo perdi um pouco a hora acordei quase às nove da manhã, olhei o tempo e percebi que continuava um pouco nublado, porém o sol aparecia um pouco tímido por detrás das nuvens, então decidi ir passarinhar assim mesmo sozinho desta vez,  (pois o Filipe Leivas estava um pouco ocupado e não poderia me acompanhar, só sei que ele perdeu muitos registros interessantes hehehe) fui novamente à Cachoeira Grande para tentar registrar o saci (Tapera naevia) espécie que no local e possível ouvir bastante suas vocalizações, porém muito difícil de ver, o apelidei carinhosamente de “o fantasma de Magé”…

Cheguei à Cachoeira grande às dez e pouca da manhã, o sol aparecia e desaparecia nas nuvens. O tempo firme, sem chuva na parte da manhã, porém um pouco nublado iria me proporcionar uma boa luz e bastantes registros interessantes. No começo da estrada pude ouvir os japacanim (Donacobius atricapilla) vocalizarem bastante, fiquei animado, pois já estava atrás desta espécie para a região já tinha um bom tempo. Foi demais! Quando coloquei o playback apareceram quatro indivíduos bem pertinho de mim, e começaram a fazer o típico display ao cantar, gastei um bom tempo ali observando e fotografando…

Ao fim da “sessão de fotos” com os japacanins ouvi o pia-cobra (Geothlypis aequinoctialis) a vocalizar bastante em uma árvore, ele não me deu as caras, mais com muitas doses de paciência ele enfim saiu para um galho contra a luz, e depois sumiu, acabei levando uma canseira dele mais fica o registro.

Enfim, ouço o canto do saci do outro lado da estrada, porém muito distante. Tive que dar a volta para poder conseguir um bom registro. Pelo caminho pude observar um casal de saí-azul (Dacnis cayana), que passaram rapidamente por mim,o macho por alguns segundos seguido pela fêmea parou em um galho limpo e em seguida sumiu. Havia alguns anu-preto (Crotophaga ani) que estavam descansando em cima de umas redes que protegia os lagos de criação de peixes ornamentais, tentei fazer algumas fotos deles voando mais eles sempre saíam para o lado contrário, nunca para o lado que gostaria para poder fazer uma boa foto. Mas eles pousados naquela rede rendeu fotos com uma boa composição. Também ouvi achoca-listrada (Thamnophilus palliatus), bastante comum no local e em toda a trilha e possível ouvir a sua vocalização e observá-la forrageando próximo ao solo.

Enquanto fotografava a choca ouvi novamente o saci, desta vez mais perto. Rapidamente coloquei o playback e ele foi me respondendo e se aproximando, em uma árvore distante o avistei na copa cantando, continuei chamando para ver se ele se aproximava mais, porém, ele mudou de árvore e foi para uma embaúba muito próxima. Depois de muito tempo atrás desta espécie enfim consegui melhorar a foto de registro, entretanto não ficou muito tempo e sumiu de vista…

Saci (Tapera naevia) enfim o encontrei!! rs

Me recuperando da emoção de poder observar e ouvir esta espécie linda tão perto, ali perto observei uma fêmea linda de freirinha (Arundinicola leucocephala), empoleirada na cerca de arame farpado ficou ali parada olhando e caçando alguns insetos que voavam próxima a ela, interessante os rasantes que dava para capturar alguns mosquitos para se alimentar e voltava a pousar no mesmo lugar.

De repente fui surpreendido por um vulto que saiu rapidamente de uma pequena árvore junto à trilha, foi maravilhoso presenciar o pica-pau-verde-barrado (Colaptes melanochloros) a quase 2 metros de mim paradão na ponta de um pedaço de madeira quebrado, ficou ali por vários minutos me deixando fotografar e até filmar (acompanhe no final da postagem), depois ele voou para um pequeno arbusto e começou a procurar alguns insetos bicando na madeira, fiz lindas e maravilhosas imagens desta linda espécie que até parecia um artista, com suas lindas cores.

O dia para mim já estava ganho, tinha concluído os registros que há um tempo já estava atrás, e ainda fui premiado por aquele lindo pica-pau-verde-barrado, quando estava vindo embora e quase guardando o equipamento observei pousado ao pé da torre de eletricidade um casal, muito simpático de coruja-buraqueira (Athene cunicularia), tentei me aproximar e fui recebido com seus gritos de alerta, parei ali mesmo onde estava e não avancei para não incomoda-la, eram simplesmente lindas.

Mais uma manhã maravilhosa, com registros maravilhosos, pois uma das melhores coisas na vida são as maravilhosas surpresas que nos reserva…

“Trame, planeje, calcule, postule, o quanto quiser. Sempre existirão surpresas à sua frente. Conte com isso!”

Acompanhe agora um vídeo que também realizei neste dia, obrigado a todos e até a próxima passarinhada.

 

 

Relatos de passeios (+)