Colhereiro (Platalea ajaja) Roseate Spoonbill

 

Texto e fotos: Claudia Komesu

Cubatão é um super-passeio para fotografar os lindos guarás-cor-de-pantone, e outras aves aquáticas. Fomos algumas vezes: madrugamos em São Paulo, e descemos até a região das náuticas. Usamos os serviços da Náutica da Ilha. Até a última vez que fomos, em abril de 2010, eles não tinham um guia ornitológico. O piloteiro tinha uma boa noção de onde ver as aves grandes, mas nenhuma informação sobre as pequenas. Eles também não era muito pontuais, por isso é melhor ir mais desencanado. É melhor reservar durante a semana, em finais de semana ensolarados os barcos costumam esgotar. Na sede deles há uma pequena lanchonete, mas geralmente passamos só o período da manhã, é muito cansativo passar o dia todo no barco, principalmente sob o sol. Não é um passeio barato, mas vale a pena, tanto pelas aves quanto pela experiência de passear pelo mangue. Acima há fotos minhas e do Cris, de um passeio feito em abril de 2010, e um outro em outubro de 2009. Segue o post feito para o passeio de abril de 2010:

Não viajamos neste feriado. Plantão no trabalho. No domingo acordamos tarde, mas surgiu a idéia de ir pra Cubatão, que fica a 70km de São Paulo. Ligamos para a Náutica da Ilha, e conseguimos barco e piloto.

Fazia mais de 3 anos que não íamos lá. Chegamos às 13h30, mais preparativos finais, mais o motor elétrico que não sabiam que queríamos, saímos às 14h. Uns 15 minutos de barco a toda velocidade, para passar das pontes e da favela e chegar ao mangue mesmo.

Um dos primeiros avistamentos foi um biguá com o peixão. Até peguei-o voando quando ele fugiu de uma garça-moura (o biguá, não o peixe), mas a foto saiu com velocidade baixa demais. Logo depois, topamos com um colhereiro tomando banho, algo inédito pra gente. Não estávamos muito perto, mas foi emocionante.

Garças-mouras, garças, só dois guarás. A caraúna, mais maçaricos e batuíras que ainda não consegui identificar, martins-pescadores, talha-mar. Uma águia-pescadora de passagem.

Fora o banho do colhereiro, que provavelmente só acontece à tarde, a manhã é o melhor período mesmo. A maré baixa, e as aves aparecem nas enseadas temporárias.

Pena que o passeio é caro: a diária de um barco com motor elétrico, para três pessoas mais piloto, sai por R$ 170. Mais R$ 70 por 20 litros de gasolina, mais R$ 50 do piloto. Comida, gasolina do seu carro, mais o criminoso pedágio da Imigrantes, de R$ 17,80. É um passeio que sai por uns R$ 400, sem guia especializado. Preciso descobrir uma náutica mais barata. Cubatão é um lugar fantástico, que vale a pena voltar sempre. É um dos poucos lugares em que você tem certeza de que sempre conseguirá voltar com boas fotos.