Passeio em duas manhãs no Central Park. Apesar de poucas espécies (junho é um dos meses menos movimentados), sempre há diversão, ainda mais para alguém que não é da cidade. Dois lifers: Canada Goose e Tufted Titmouse.

Blue Jay (Cyanocitta cristata), uma ave comum e que não canso de olhar.

 

  • Texto e fotos: Claudia Komesu
  • Passeio no Central Park nos dias 5 e 6 de junho de 2012
  • Câmera: Canon 7D e lente Canon 100-400
  • Para ver o post sobre o passeio feito em maio de 2010, época bem mais movimentada de espécies: clique aqui

O Central Park – NY num dos piores meses para passarinhar. Fui em maio de 2010, e agora em junho de 2012. Só depois descobri que maio é um dos melhores meses do ano (migração de warblers), e por isso o parque estava lotado de birdwatchers e fotógrafos. Agora em junho estava vazio de aves e de pessoas. Compare com o post da viagem de 2010.

Mesmo com poucas aves, sempre dá para se divertir. Fui em duas manhãs. Só não fui passarinhar nos outros dias porque o tempo fechou. Ainda assim, consegui dois lifers: Canada Goose e Tufted Titmouse. Os dois são bem comuns, mas ainda não tinha visto. Não escondo de ninguém que geralmente os patos e gansos não me impressionam muito, mas aves pequenas…

E o Tufted Titmouse teve direito a suspense e emoção. No dia que chegamos em NY, tivemos que ir fazer hora até dar o horário de entrada no hotel. Fomos passear no Central Park, mas eu estava sem minha lente. De repente o bichinho pousou na minha frente, como se tivesse vindo me olhar. O Cris estava com uma compacta, comecei a chamá-lo para ele vir fotografar, mas não deu tempo.

Dois dias depois voltei com a câmera, e topei de novo com o Titmouse. Ele veio me olhar, e cantou muito, foi emocionante. Depois encontrei um texto dizendo que essa espécie é realmente curiosa e, apesar de um pouco arisca em comedouros, às vezes as pessoas o veem espiando pelas janelas, como se quisesse ver o que está acontecendo dentro das casas, é mole?

Tufted Titmouse

 

O Central Park sempre é um lugar agradável, mas quem quiser aliar a visita à cidade com passarinhada, é melhor evitar junho e julho e, se possível, pegar maio ou setembro. Pesquise também sobre Jamaica Bay.

Obs: essa viagem para Nova York não tinha o objetivo de passarinhar. Após alguns anos só tirando férias em lugares com natureza (nossa viagem em 2010 não eram férias, era uma viagem de trabalho do Cris com uma folguinha), decidimos fazer uma viagem urbana. Fomos pra lá praticamente pra experimentar restaurantes diferentes, fazer compras de equipamentos e livros sobre aves, passear no Metropolitan, e também vimos o musical Porgy and Bess. Quem tiver interesse em saber sobre os restaurantes, tem uma lista abaixo.

 

Restaurantes étnicos e baratos

Refeição para o casal por menos de US$ 50, às vezes menos de US$ 40 e até menos de US$ 30.

Vietnamita: Co Ba: http://www.cobarestaurant.com/. 110 9TH AVENUE (BTW 17TH &18TH ST). Um dos melhores restaurantes da viagem. Ingredientes frescos, muito saborosos, com um divino uso de ervas e temperos. Ao mesmo tempo, muito leve e saudável. Almoço por menos de US$ 40 o casal. Não se impressione com a entrada, por dentro o restaurante é bonitinho.

Indiano: Saravanaa Bhavan http://www.saravanaabhavannyc.com/. 413 Amsterdan Avenue. O outro entre os favoritos, e olha que é vegetariano. Dosas (crepes bem finos, feitos de arroz) gigantes e incríveis, com pequeno recheio de batata e cebola, e diversos molhos. Curry de cogumelos, muito saboroso. Só não comemos mais porque fecharam a cozinha às 15h30. O chão do lugar não era muito limpo, e a garçonete um pouco aérea, mas a comida era deliciosa, queríamos voltar.

Indiano: Swagat http://www.swagatny.com/. Vizinho do Saravanaa, mas ficava aberto até mais tarde. Comida saborosa, bonitinho, limpo, camarões excelentes, mas não nos entusiasmou como o Saravanaa.

Mexicano:Toloache http://toloachenyc.com/media/toloache.html. Um chef ousado, menu que impressionava com combinações criativas de ingredientes, tudo parecia interessante. Tinham cacto frito (não muito bom, gosto de abobrinha), e não tivemos coragem de pedir os grasshopper (gafanhotos). Nossos tacos estavam deliciosos. Depois de experimentar o Toloache, o Rosa Mexicano parece muito baunilha.

Chinês: Pacificana  http://www.sunset-park.com/mall/PACIFICANA/. Só o bairro, para quem gosta de experiências étnicas, já vale o passeio. O Cris disse que é muito parecido com Hong Kong. Lojinhas pequenas, produtos que avançam para a calçada, muitos frutos do mar, algumas pessoas vendendo peixe sobre um jornal na calçada. Ruas sujas, água parada, muita gente. No tempo que ficamos lá, vimos menos de 5 pessoas que não eram orientais, naquela multidão de gente. O Pacificana é grande, bonito, limpo, com aquele estilo cafona de veludo vermelho e dragões. Queríamos dim sum, aquela diversidade de bolinhos cozidos (ou fritos, eu queria os cozidos). Chegamos tarde (umas 16h), restaurante aberto mas vazio, só a gente e uma família que já estava saindo. Dumplings incrivelmente saborosos.  Líamos resenhas em que parece que esse restaurante é benchmark, coisas como “não tão bom como o Pacificana, mas é mais perto”. Realmente é bem longe, mas nós voltaríamos lá para experimentar outros itens do enorme cardápio.

Grego: Taverna Kyclades. http://www.tavernakyclades.com/. Fresco e saboroso, ambiente familiar e despojado. Invejamos a mesa ao lado, com 5 homens que pediram muita coisa do cardápio. Nós, em 2, só pudemos experimentar as lulas fritas, muito boas, e o peixe do dia, também ótimo.

Tailandês: Land http://www.landthaikitchen.com/. Comida bem-feita, barata, mas não foi muito surpreendente no sabor.

 

Outros, inclusive da viagem de 2010

Brunch judaico: Barney’s Green Grass  http://www.barneygreengrass.com/welcome.php (2010) uma instituição, e com filas grandes.

Brunch: comida do Sul dos Estados Unidos: Amy’s Ruth  http://www.amyruthsharlem.com/ (2010). Outro delicioso, onde aprendemos a comer waflle com frango frito e quiabo. Delicioso, mas infelizmente também com grandes filas.

Hamburguer: http://5napkinburger.com/, http://www.parkermeridien.com/eat4.php (2010)

Cachorro-quente do Gray ‘s Papaya

Steakhouse http://www.peterluger.com/  (2010)

Doces: não somos muito de doces, então não experimentamos muita coisa. Mas adoramos cheesecake. A Two Little Red Hen http://www.twolittleredhens.com/ tem um cheesecake de amora fantástico, e parece que acaba rápido. Em 2010 não tinha, desta vez voltamos lá e pegamos os últimos dois pedaços.

Salumeria:  http://www.salumeriarosi.com/ (2010)

 

Restaurantes famosos e estrelados, mas bem caros

Precisam ser reservados com antecedência. Você pode ligar no restaurante, ou usar o sistema Open Table.

Eleven Madison Park: http://elevenmadisonpark.com/ Moderno, criativo, elegante, saboroso, apresentação incrível. Um dos melhores da viagem, nos surprendeu. Vale a pena almoçar em vez de jantar.  Valor menor, mas com o mesmo sabor (é o que dizem as resenhas).

Le Bernardin: http://www.le-bernardin.com/ Correto, saboroso, mas não surpreendente. Quem conhece bons restaurantes de capitais não vai se maravilhar com este.

Daniel: http://www.danielnyc.com/daniel.html Ambiente formal, bom para comemorações especiais, mas não é inovador. Cardápio era semelhante a maio de 2010, não aumentaram os preços, mas adaptaram os ingredientes, itens mais baratos.  Mas tenho que dizer: o drink mais delicioso que já experimentei foi aqui, um BERGAMOT MARTINI:  Pear Flavored Grey Goose Vodka, Fresh Bergamot Juice Bergamot is a Sour and Aromatic Citrus Crossed Between Seville orange and Pear Lemon.