(…) Mas o melhor dessa viagem, foi poder constatar que a observação de aves é uma prática que encanta pessoas de todas as idades. Gabriel, de onze anos, assim como o pai, é um apaixonado por aves. Conhece as espécies, compara, analisa e estuda no Wikiaves, com uma empolgação e alegria de nos deixar emocionados.

 

Semana passada estive guiando o amigo Paulo Batista e seu filho Gabriel que desejavam conhecer as aves que habitam a Serra da Canastra. Paulo e Gabriel já conhecinham o parque e suas principais paisagens, mas ainda não o haviam visitado com foco em observar e fotografar aves.

Sob uma luz maravilhosa, vimos e fotografamos as grandiosas emas, que inusitadamente, estavam extremamente calmas nessa ocasião.

A Canastra é um dos maiores parques nacionais brasileiros, em sua paisagem predominam enormes áreas de campo aberto, onde, para quem não tem o olhar treinado, parece não haver muita diversidade de espécies. No entanto, essas áreas de capim nativo guardam preciosidades de nossa avifauna, grande parte ameaçada de extinção.

Gabriel e Paulo fotografaram o diminuto papa-moscas-do-campo, camuflado em meio ao capim nativo.

Pudemos ver e fotografar cerca de 80 espécies, algumas raras e ameaçadas como o galito, tico-tico-de-máscara-negra, bandoleta e o mocho-dos-banhados.

O galito (Alectrurus tricolor) é um endemismo do cerrado que precisa de grandes áreas de capim nativo para sobreviver.

Ameaçado de extinção, o tico-tico-de-máscara-negra (Coryphaspiza melanotis) costuma aparecer nas primeiras horas da manhã, quando a luz fica ideal para se realizar ótimas fotografias.

Mas o melhor dessa viagem, foi poder constatar que a observação de aves é uma prática que encanta pessoas de todas as idades. Gabriel, de onze anos, assim como o pai, é um apaixonado por aves. Conhece as espécies, compara, analisa e estuda no Wikiaves, com uma empolgação e alegria de nos deixar emocionados.

Durante esta viagem, vimos mais de uma dezena de veados-campeiros, que estavam muito calmos, permitindo grandes aproximações.

Gabriel representa a síntese de que a nova geração certamente está mais conciente e preocupada com as questões ambientais. Ver pai e filho fotografando aves nos chapadões da Canastra sob uma luz inigualável foi uma experiência marcante, cheia de beleza e poesia. Capaz de nos deixar mais otimistas e renovar a nossa fé e esperança quanto ao futuro da nossa biodiversidade.