Texto e fotos: Claudia Komesu

Os culpados de sempre no quintal, na época que ainda existia o querido pinheiro-bravo que depois tombou. No pinheiro bravo, as tais bolinhas cor de rosa que atraíram o único gaturam-bandeira que eu já vi por lá. Passeio no Amantikir, com direito a beija-flor-de-topete, macho e fêmea, e meu mais belo bico-de-veludo. A foto dos gaviões-carrapateiros no céu não está invertida, eles brigaram e estavam caindo.