Passamos um dia tão agradável e não teve nada mais gratificante do que saber que daquele momento em diante teríamos ali mais três amantes e defensores da natureza. Foi demais ouvir, na hora de nos despedirmos: “O Tia, pode deixar que a gente vai cuidar dos passarinhos daqui viu!” E como foi uma manhã produtiva!

 

Aproveitando os últimos dias de férias eu, o meu afilhado Lucas Castro e meu amigo Leandro Moura combinamos de irmos passarinhar cedinho no Parque Ecológico Roberto Burle Marx, no Barreiro, em Belo Horizonte.  Levantamos cedinho, em plena terça-feira e encaramos quase 1 hora e meia de ônibus para chegarmos ao local destinado.

E logo na chegada do Parque fomos recebidos pelos moradores do Parque, os beija-flores. Quantas espécies logo na entrada, impressionante a grande variedade se deliciando na planta conhecida como chapéu-chinês(Holmskioldia sanguinea ); beija-flor-preto; beija-flor-tesoura; beija-flor-de-peito-azul; beija-flor-de-orelha-violeta.

Fomos caminhando pelas trilhas e logo avistamos a saracura-do-mato, ouvimos o joão-porca, o pombão estava lá bebendo a água fresquinha que corria pelo Parque. A lavadeira-mascarada sempre lá na grama juntamente com o suiriri-cavaleiro a espera dos insetos. Continuamos nossa caminhada e resolvemos parar na pracinha da fonte, onde se concentra a maioria das aves do Parque. Era tanta variedade que não sabíamos para onde olhávamos. E lá estava o casal de tiê-sangue, os sabiás-laranjeiras, mais beija-flores, bandos de saí-andorinhas, as majestosas saíras-douradinhas, bicos-de-lacre, canários-da-terra, os vira-bostas, tuins, cambacicas, os fim-fins; periquitão-maracanãs, saíras-ferrugem e muito mais.

Resolvemos sentar e ficarmos apreciando a natureza e logo despertamos a curiosidade dos visitantes dos parques. De mansinho veio chegando um belo garotinho que andava de bicicleta, logo se sentou do lado do Lucas que estava observando os pássaros com seu binóculo e perguntou . “O que você está fazendo?” O Lucas explicou a ele e logo ele interessou e perguntou se podia ver também. Quando vimos lá estava ele, andando com a gente por todo o parque, sem sequer lembrar-se da bicicleta. Era tão gratificante ver a alegria e o encantamento dele pelos “passarinhos”.

Sentamos em outro ponto do parque para descansarmos e logo chegam duas garotinhas querendo saber de que e o porquê estávamos tirando fotos. Explicamos para elas que fazíamos parte de um grupo de Observadores de Aves, a Ecoavis – Ecologia e Observação de Aves, e que sempre saíamos pelos parques para observar e promover a observação de aves. Rapidamente estavam elas, com nossos binóculos, a observar as aves do parque. Para elas era uma novidade aquilo tudo e logo começaram a se interessarem por nossas histórias.

Passamos um dia tão agradável e não teve nada mais gratificante do que saber que daquele momento em diante teríamos ali mais três amantes e defensores da natureza.  Foi demais ouvir, na hora de nos despedirmos: “O Tia, pode deixar que a gente vai cuidar dos passarinhos daqui viu!”  E como foi uma manhã produtiva!