Texto e fotos: Claudia Komesu

Manhã no Jardim Botânico com o amigo Emerson Kaseker. Templo nublado e grande silêncio na mata, não vimos nada nas áreas mais arborizadas, fora uma acanhada Penelope obscura. No lago sempre tem diversão com as aquáticas, especialmente a marreca-parda,

Além das silvestres livres, havia gansos, e também passou por cima da gente um ganso-egípcio, provavelmente fugido do zoológico que fica ao lado do Jardim Botânico. Ainda lembro da cara do Emerson quando vimos aquela ave enorme “Meu Deus, o que é aquilo??”.

A foto em destaque é uma tentativa de assassinato. Ou talvez um acasalamento,  o que é mais provável.

O Botânico de São Paulo não é famoso pela diversidade de espécies, mas é um lugar bastante agradável, bonito, seguro, amigo-dos-fotógrafos (você assina um termo na portaria, e nenhum segurança vem atazanar). É possível fazer uma carteirinha para entrar mais cedo, a partir das 6h. É uma carteira feita para quem mora por perto e vai lá caminhar, mas também serve para fotógrafos. Nós fizemos mas acabamos não usando muito.