Santo Antônio do Monte, cidade do oeste mineiro, é conhecida por ser a capital dos fogos de artifício, mas o que poucos sabem é que este simpático município abriga um grupo de observadores de aves que fazem um grande levantamento da avifauna local, contribuindo sobremaneira com relevantes dados ornitológicos para a região.

Sabendo de tudo isto aproveitei o convite que Daniel Santos e seu filho Luis Henrique (sabe muito esse garoto!), o Paulo Couto, e o Wagner Rodrigues, membros da Comissão organizadora da passarinhada ECOAVIS em Santo Antônio do Monte – MG, nos fizeram para uma visita à sua linda cidade.

MM_divulgacao ecoavis_Joao-Sergio-Barros

 

  • Texto: João Sérgio Barros
  • Fotos: João Sérgio Barros e divulgação Ecoavis
  • Passeio da Ecoavis em Santo Antonio do Monte, uma das programações anuais da associação. Para ver mais: http://www.ecoavis.org.br/programacao

Pontualmente o grupo estava reunido no local indicado. Além da Comissão santo-antoniense estavam os amigos ecoavianos Eduardo Franco, o Daniel Esser, o Otacílio, o José Henrique e seu filho, o Bruno Henrique (muito bom ver a futura geração de birders começando tão cedo). E sem perder tempo, ávidos por uma boa passarinhada, saímos em direção ao pitoresco sítio do Sr. Rafael, avô do Paulo Couto, um adorável senhor que muito bem nos recebeu com aquele famoso “queijim” na beira do fogão a lenha. Êêêêê trem bão sô!!!

Quanto à passarinhada, apesar de estarmos no período de descanso reprodutivo, foi muito proveitosa! Com a ajuda inestimável do grande Paulo Couto, profundo conhecedor da avifauna local, avistamos e registramos várias espécies, com destaque para macuru, juruva-verde, soldadinho, bico-reto-de-banda-branca e um gavião-caboclo que nos sobrevoou vocalizando.

Bem, particularmente foram 2 lifers, a enorme satisfação de conhecer o Sr. Antônio e a certeza de voltar o mais breve possível para comer um queijim acompanhado da boa prosa do nosso querido anfitrião.

A fome apertou, então saímos em comboio em direção à residência do Sr. Diógenes, pai do Daniel Santos, onde uma faixa nos dava as boas vindas e um maravilhoso e farto almoço nos esperava. Após nos deliciarmos com aquele verdadeiro banquete, ainda fomos presenteados com lembranças da cidade pelo Daniel Santos.

Bem caros leitores, realmente toda aquela recepção e a alegria em nos receber, estampada em sinceros sorrisos de toda família do Daniel e dos demais ecoavianos santo-antonienses ali presentes, foi de emocionar!!! Acho que a hospitalidade mineira nunca foi tão bem representada!

Após um merecido descanso, boa prosa e belas fotografias que o Daniel Santos nos apresentou, fomos a uma várzea onde a mãe natureza nos presenteou com o belo display do tesoura-do-brejo, a visita de um inusitado e belíssimo casal composto por um sanhaçu-de-coleira e um bico-de-veludo, e o que dizer do prestígio de observar o desfile de um chifre-de-ouro, bem à nossa frente! Realmente sensacional!!!

A noite estava chegando quando vimos um bacurauzinho voando, e quando ela se estabeleceu, um bacurau garantiu nossa diversão. Exaustos e muito felizes por um dia mais que especial, resolvemos descansar, já que no dia seguinte uma outra promissora passarinhada nos esperava.

Bem cedo tomamos café juntos, mais uma cortesia do Daniel Santos, e saímos em comboio com destino ao famoso Areal. No caminho, pausa em uma belíssima vereda, repleta de buritis, onde os andorinhões-do-buriti e as maracanãs-do-buriti eram presença constante. Ainda encontramos naquela paisagem deslumbrante, o beija-flor-de-bico-curvo, o bigodinho, tipios entre tantos outros. Depois desta proveitosa parada, seguimos ao nosso destino final.

Assim que chegamos no Areal, uma grande ave de rapina alçou um vôo baixo, sumindo rapidamente na imensidão do horizonte. Suspeitamos que fosse um gavião-preto(o que seria uma nova sp para a lista da cidade). Depois, vendo fotos do mesmo ângulo, acredito ser realmente ele.

Polícia-inglesa-do-sul, caboclinho, caminheiro-zumbidor, jaçanãs, entre tantas outras aves pudemos observar e fotografar no Areal, apesar do forte calor que fazia. E como toda grande história tem que ter um “grand finale”… estávamos eu e o nobre Paulo Couto caminhando próximo a uma das lagoas do imenso Areal quando um vigoroso e barulhento bater de asas nos surpreende, quebrando o silêncio que já reinava devido ao sol escaldante, chegando até a assustar! Bati o olho e exclamei: “É a marreca-de-bico-roxo”!!! Sacamos as “metralhadoras” e disparamos! Alguma foto tem que ter saído, disse pro Paulo. Uma olhadela e a euforia foi completa quando vimos que conseguimos fazer o registro daquele raro anatídeo, que até então nunca havia sido sequer visto por aquelas bandas.

Bem meus caros, vocês conhecem aquela legenda da Virtude sobre o que deveria ser o birdwatching não? [é esta no rodapé, uma bandeira em que está escrito Birdwatching] Pois ela se aplica totalmente a esta passarinhada. Foi uma confraternização realmente sensacional! A alegria de receber cada um de nós estava presente o tempo todo, em cada gesto, em cada fala, em cada sorriso de nossos estimados anfitriões. Todos os detalhes foram cuidadosamente preparados para que nossa visita fosse a melhor possível, o que de fato aconteceu. Não imagino como poderia ter sido melhor! Nunca o birdwatching havia me proporcionado tantos momentos felizes! Saí de casa em busca de novas espécies de aves e acabei encontrando um tesouro inestimável, encontrei amigos de verdade, algo em perigo crítico de extinção neste mundo tão carente de bons valores.

 

Mais uma proposta do Lado B: compartilhe momentos mágicos

Todo mundo que passarinha tem momentos mágicos. A aparição de uma ave rara, alguns segundos ou minutos podendo observar bem de perto alguma ave ou outro animal, uma luz muito especial, o olhar do bicho, e mesmo fotos ruins, mas que o autor sabe do valor.

O Momento Mágico não é uma foto espetacular: é um momento espetacular que você viveu, tenha conseguido foto boa ou não, talvez estivesse até sem câmera.

Basta escrever um texto e, se tiver uma foto, seja do momento ou de algo que represente seus sentimentos, envie junto para claudia.komesu@gmail.com. Fotos em 960×640 pixels, pelo menos uma na horizontal para ser capa do post. O texto não precisa ser muito longo, mas tente expressar o que você sentiu e pensou, afinal, o objetivo desta seção é valorizar o que vivemos, compartilhar e reviver alegrias.

Além do texto, diga data e local do momento mágico.

O Momento Mágico é uma seção permanente do Lado B. Você pode participar mesmo que seja seu primeiro post para a Virtude-AG. O material não precisa ser inédito nem exclusivo.