Piraju tem muito cerrado preservado, trilhas e cachoeiras. É um ótimo destino para quem busca contato com a natureza e belas fotos de aves.

  • Texto: José Carlos Garcia
  • Fotos: Mariza Sanches, Conceição Garcia Bianchin, Sylvio Coelho, Dario Sanches
  • Os textos e fotos deste post podem ser livremente reproduzidos para divulgação da natureza

Estância Turística de Piraju, a cerca de 320 quilômetros da Capital paulista, já desperta interesse de grande número de observadores de aves. Dotado de importantes recursos hídricos e de muito verde, o município recebeu o Selo Verde  e foi incluído recentemente no roteiro da revista Quatro Rodas para esse tipo de turismo.  Com 312 já catalogadas, ocupa o 34º lugar entre os municípios brasileiros e o 10° lugar entre os paulistas, no ranking do WikiAves, um site  de conteúdo interativo, direcionado aos amantes desse hobby.

Piraju é banhado por quatro represas. Faz parte de extensa Área de Proteção Ambiental (APA-Tejupá), abriga o único trecho natural do rio Paranapanema (7km) e o Horto Florestal do governo do Estado, uma “Área de Refúgio da Vida Silvestre” (quase 3 milhões de metros quadrados), “Reserva Particular do Patrimônio Natural” (perto de 4 milhões de metros quadrados), além de Área de Preservação Permanente tombada por decreto municipal, o Parque do DouradoSó neste local já foram fotografadas 173 espécies de aves, além de muitos animais silvestres como irara, quati, bugiu, tamanduá, garante José Carlos Garcia que pode guiar os observadores que se interessarem em visitar esta cidade.

 

Destaques de Piraju (texto semelhante ao do post do Dario Sanches sobre Piraju. Para ver mais fotos tiradas em Piraju, acesse o post do Dario.)

Destaques: O mocho-dos-banhado,  sanhaçu-papa-laranja, soldadinho, canário-do-campo, tuju, bacuraus, inhambus, sabiá-ferreiro, estalador, tico-tico-de-bico-amarelo, tico -tico-do-mato, tesoura-do-brejo, murucututu-de-barriga-amarela, peixe-frito-pavonino, saci, são algumas das espécies encontradas na região que conta com aproximadamente 280 espécies catalogadas.

Nível de dificuldade: fácil. Estradas boas, muitas na área rural, pontos distantes um do outro, isso claro dependendo das espécies a serem procuradas para observação.

Infraestrutura do local: boa. Cidade turística, com boas opções de hotéis e pousadas com preços acessíveis, e possibilidade de se contratar tradutor de Inglês de Espanhol.

Oportunidades fotográficas: Muito boas. Muita área de cerrado preservada onde é possível observar a maria-ferrugem, barulhento, bagageiro, guaracavas, cigarra-do-coqueiro, sabiá-ferreiro. Se você tiver sorte pode de repente encontrar pelo caminho o tamanduá-bandeira ou o tatu-galinha, sinal de mata preservada.

Onde fotografar: No Parque do Dourado é possível encontrar facilmente o tico-tico-de-bico-amarelo, a pipira-vermelha, o pimentão, a borralhara, o peixe-frito-pavonino e o murucututu-de-barriga-amarela (noturno), canário-do-campo.. Existe uma Reserva Ambiental conhecida por “Horto Florestal”, que em certas épocas é possível observar o soldadinho, estalador, mãe-da-lua, tuju… Muita área aberta também, brejos, pastagens onde se vê o mocho-dos-banhados à tarde peneirando ou até pousado, o policia-inglesa-do-sul, o sovi, a codorna-amarela, caminheiro-zumbidor, tesoura-do-brejo, japacanim…

Outras áreas: Estrada da Pedreira (Cerrado), Estrada do Funil (represas e mata Atlântica), Bairro Monte Alegre (cerrado), Bairro dos Pereira (cerrado), Bahia do Judas (represa), Fazenda Piraju (represa e cerrado)

Subindo o rio de chalana:  dependendo da disponibilidade de tempo os visitantes (no mínimo 10) poderão fazer um passeio de barco, onde poderão fotografar diversas espécies que habitam as margens da represa como frango-d’agua-azul, jaçanã, coleiro-do-brejo, japacanim, curutiê, carão, coró-coró, garça-moura, garça-branca-grande, savacu, socozinho, etc. (este passeio deve ser agendado antecipadamente).

Como chegar: saindo de São Paulo segue pela Rodovia Castelo Branco até o acesso a Avaré… Passando por Avaré segue até a Rodovia Raposo Tavares . Entrando na Raposo Tavares segue aproximadamente 40 km até a entrada de Piraju. Veja o Mapa do Google.