A promoção do HD de 1tb acabou, o resultado do concurso será divulgado dia 29/08. Continua participando do Lado B quem se interessou pela ideia de desenvolver um olhar artístico na fotografia de aves.

Saí-azul na gloriosa paineira-vermelha-da-índia, em Itu-SP (link para o post do passeio)

 

O Lado B começou com a sensação de que havia algo errado no meu jeito de fotografar, e que era provável que o mesmo estivesse acontecendo com outras pessoas. Vendo os comentários no Wikiaves sobre composição, enquadramento, “uma pintura”, dá pra ver que as pessoas têm pouco conhecimento sobre composição, enquadramento e artes plásticas.

Peço desculpas, porque não quero ser nem parecer arrogante. Eu mesma sou muito amadora, e sem perdão, porque meu marido entende bastante de fotografia, tenho acesso a dezenas de livros, poderia estudar mais artes plásticas, e mesmo assim continuo sendo muito ignorante.

Mas acho que qualquer birdwatcher que acompanhe o Wikiaves, e tenha um pouco mais de interesse na fotografia como arte e não apenas como uma ferramenta de registro, percebe que algo não está certo na visão das pessoas do que é uma foto com linda composição. Sou pouco esperta porque há anos tenho a oportunidade de evoluir mais, e evoluí pouco, mas acredito que o padrão de fotos do Wikiaves não deveria ser adotado como o ideal e único. Há outras formas de fotografar, e o olhar artístico é um estilo histórico e importante.

Quem quer desenvolver um olhar artístico, fotográfico, descobre que há belas imagens que podem ser compostas com a ave, e que a fotografia não precisa ser só de uma ave bem de pertinho. E que a inclusão do cenário valoriza a imagem.  O olhar fotográfico é possível principalmente com as aves comuns, que são as mais fáceis, mas conseguir uma linda foto em um local mais difícil é um belo desafio.

Por que alguém faria isso? Para desenvolver sua percepção para a beleza do mundo. Para ser capaz de estar sempre conectado com a natureza, e não chegar nem perto de transformar o birdwatching em uma atividade em que só contam lifers e fotonas de uma ave bem de perto.

O Lado B começou com um convite a experimentar. Após os resultados do concurso (que serão divulgados amanhã, dia 29/08), e de boas conversas com o Cristian Andrei, o jurado do concurso, vi que podemos dar um passo além do experimental: o Lado B é um espaço para as fotografias que valorizam a beleza, e não a ornitologia. Será uma seção para qualquer foto de ave silvestre livre, brasileira ou não, em que o tema da foto não é apenas a ave na pose convencional de guia de campo sob uma luz que altera pouco suas características. É a ave inserida e em harmonia com o cenário, flores, frutos, galhos bonitos, a ave parcialmente escondida, mas de uma forma que a folha ou o galho fazem parte da composição da foto, uma visão criativa, luz diferente, contraluz, pouca luz ou velocidade baixa. Estará mais próximo do Lado A, mas não o Lado A quadradinho: vamos buscar fotos bonitas e chamativas.

O critério mais importante é o orgulho por ter feito a foto: poder olhar para a imagem e pensar “gostei de ter feito essa foto, ficou muito boa, eu seria capaz de imprimi-la e olhar pra ela por muito tempo”.

O registro de aves comuns continua valendo, mas agora com esse enfoque de dedicação e olhar fotográfico. As aves comuns são comuns: dedique-se a fotografá-las até conseguir uma imagem que faz você se sentir orgulhoso.

Um convite para a nova galeria de setembro a novembro: que tal buscarmos fotos com um tema? Aves com flores e frutos. E não é golpe para o Prêmio Champagne, ninguém é obrigado a participar de ações para divulgar o birdwatching.

Nos próximos posts vamos falar sobre os elementos que fazem uma foto se valorizar do ponto de vista artístico, e os elementos que tiram pontos.

Agradeço a todos que participaram do concurso, e a todos que acompanham as atividades da Virtude-AG.