(1) Exemplo do uso de um saco de canjica para apoiar a câmera quando você fotografa de dentro do carro (2) Fotografe sempre, faça chuva ou faça sol… (3) Muitas aves permitem boa aproximação se você se move devagar, não importam as cores das roupas
 

Para aumentar suas chances de ver e fotografar

  1. As aves, como os outros animais, são mais ativas perto do nascer e do pôr-do-sol. O que você vê entre 6h e 10h não se compara ao resto do dia. Geralmente a manhã é mais produtiva do que a tarde.
  2. Treine o máximo que puder e aprenda os recursos da sua câmera.
  3. Se você estiver em silêncio, caminhando devagar e concentrado em ver as aves terá mais chances do que se estiver papeando com o colega.
  4. Geralmente as pessoas que gostam das aves são bacanas e agradáveis, e sempre há muito o que conversar e aprender. Mas é um fato: quanto mais gente, menos foto.
  5. Fotografe em comedouros e bebedouros. É bom para treinar e rende fotos bonitas.
  6. Contrate bons guias, vale a pena.
  7. Localizar visualmente uma ave, e depois conseguir localizá-la na câmera, principalmente nas compactas é uma questão de treino. Não desanime, é só uma questão de treino.[/accordion]

 Técnicas de aproximação

  1. Movimentos bruscos afugentam as aves. Tente se mover devagar.
  2. Se a ave parece alarmada, pare. Só ande quando ela voltar a ficar tranqüila.
  3. Durante a aproximação, vá fotografando sempre que parar. Serve para a ave se acostumar ao som, e também para garantir algumas imagens.
  4. Se a ave está cantando, aproxime-se enquanto ela estiver cantando, pare quando ela silenciar.
  5. Dica de um ex-caçador: aproxime-se de cabeça baixa, não deixe a ave ver o branco dos olhos. Geralmente faço uma variação dessa dica, que é a de me aproximar com a câmera na frente do rosto. Pode parecer estranho, mas tem funcionado.
  6. Se estiver em grupo, por uma questão de companheirismo, o que costuma-se fazer é: todos fotografam. A ave continua lá? “Vamos dar mais alguns passos?”, e todos se aproximam um pouco mais. Se as pessoas estão fotografando, não se mova sozinho sem perguntar se pode, você pode afugentar a ave e acabar com a alegria de todos.
  7. Dica do Arthur Morris: rasteje lentamente. Essa eu nunca tive coragem de fazer. O Cris decidiu testar uma vez na Patagônia, funciona mesmo, conseguiu uma boa aproximação dos flamingos. (Em compensação, pegou um carrapato na barriga). Para mamíferos é o contrário: já tivemos situações em que de pé eles estão parados, se você se abaixa eles fogem. Dizem que é porque se abaixar é sinal de que você vai dar o bote, como uma onça.
  8. Blinds portáteis: uma pequena barraca de camping, camuflada, com uma pequena fresta para você fotografar. Também nunca tive coragem. O calor e os pernilongos me inibem.
  9. Fotografar de dentro do carro: várias aves permitem que de carro, você se aproxime a uma distância que a pé elas não deixariam. Há vários artefatos profissionais para firmar uma câmera DSLR, mas eu uso um bean-bag simples: um saco de canjica de 2,5kg. Nessas situações, sempre puxe o retrovisor, para aumentar seu ângulo de fotos.