Por que vale a pena: cenário bonito, perto de São Paulo, tranqüilidade, segurança, em geral temperatura agradável, boas estradas e infraestrutura na cidade. 240 espécies de aves registradas dentro do município. Não é um lugar de quantidades, e raramente há espécies raras, mas você sempre vê aves diferentes, com uma boa chance de vê-las de perto e com uma luz bonita.

Claudia Komesu tem o privilégio de contemplar com frequencia a natureza de Campos do Jordão, graças à casa de campo dos sogros, cercada por araucárias. Em Campos Claudia fez poucos passeios focados em birdwatching, porque geralmente está com a família, mas tem alguns pontos preferidos para compartilhar.

Quadro resumo: Campos do Jordão – SP

Informações e fotos enviadas em fevereiro de 2012. Base: diversos passeios entre 2007 e 2012. Participantes: na maioria das vezes passeios com Cristian Andrei ou sozinha.

  • Destaques: papagaio-de-peito-roxo, caneleirinho-de-chapéu-preto, beija-flor-de-topete, gaturamo-bandeira, pavó, grimpeiro, sanhaçu-frade. Há um ponto para a saudade-assobiadora, mas eu mesma só a vi de relance uma vez.
  • Nível de dificuldade: fácil. Cidade com boa estrutura, estradas boas, pontos próximos um do outro, você chega de carro a todos os lugares. O ponto mais afastado é a estrada para a Pedra do Baú, a 25km do centro de Campos.
  • Infraestrutura do local: boa. Cidade turística, lota em julho no Festival de Inverno e nos feriados do segundo semestre. Há várias opções de estada, mas os restaurantes não são grande coisa, e infelizmente os preços são bem turísticos.
  • Oportunidades fotográficas: muito boas. Vários trechos com áreas abertas e iluminadas, aves se aproximam com o playback. Em três situações, oportunides excepcionais: em 2009 ninho de tesourinha-da-mata em um pesqueiro, em área aberta, relativamente baixo; floração das cerejeiras em junho de 2010 com muitas aves se alimentando das flores; frutificação de plantinha silvestre em junho de 2011 que atraiu gaturamos-rei e gaturamos-bandeira.
  • Onde fotografamos: na estrada de terra lateral ao horto de Campos (entrada à direita, um pouco antes da portaria do horto), arredores da hípica golf e do Beto Perroy, estrada para a Pedra do Baú, Amantikir (parque temático com jardins típicos de vários países).
  • Como chegar: Carvalho Pinto e depois SP-123 (Floriano Rodrigues. Mais informações, inclusive sobre como chegar de ônibus, neste link.
  • Guia ornitológico: Thiago Carneiro mora em Campos e conhece tudo da cidade, mas pode ser difícil conseguir agenda com ele. Mesmo assim, pode entrar em contato com ele, ele pode lhe indicar outro guia se não puder atender. Contato: 12 9773 2654
    carneiroa3@gmail.comhttp://www.wikiaves.com.br/perfil_carneiro
  • Logística: por ser uma cidade turística, com certeza as agências podem ajudar a encontrar hotéis. Meus sogros têm uma casa na cidade, por isso infelizmente não sei indicar hotéis e restaurantes.
  • Quando ir: há aves em todas as épocas. Tenha em mente que no verão chove bastante, quase todos os dias, principalmente à tarde. Em julho a cidade lota. Tive avistamentos muito bons na primeira quinzena de junho e em novembro.

O Parque Estadual de Campos do Jordão ocupa 40% do município. Além dessa área grande com muitas araucárias, fragmentos de mata na cidade e as regiões preservadas de São Bento do Sapucaí e Santo Antonio do Pinhal garantem uma boa diversidade de aves como o beija-flor-de-topete, o caneleirinho-de-chapéu-preto, o sanhaçu-frade, o gaturamo-bandeira, o gaturamo-rei, o verdinho-coroado, o grimpeiro, a tiriba-de-testa-vermelha, a saíra-lagarta, a coruja-listrada e o quete.

A cidade de Campos do Jordão tem (em fev/12) uma lista de 236 espécies registradas no Wikiaves. Se contarmos as cidades em um raio de 50km, a lista vai para 396 (graças aos passarinheiros do Vale do Paraíba, que fazem um bom levantamento das aves da região do Vale).

Meus sogros têm uma casa em Campos do Jordão, em um condomínio com várias araucárias, por isso tenho muitos registros das aves do quintal, que incluem até o pica-pau-rei e o gavião-pernilongo no verão, uma foto da coruja-listrada, e rotineiramente o papagaio-de-peito-roxo. Já vi 57 espécies de aves no condomínio, sendo 43 pousadas no quintal. Em Campos e em São Bento do Sapucaí já vi mais de 150 espécies de aves.

No fim do post coloquei a lista de aves da cidade e minha opinião sobre a probabilidade de vê-las.

Há aves em todas as épocas, e a primavera (setembro-início de novembro) é uma época especial em qualquer lugar do mundo. Mas depois do que eu vi nos dois últimos anos, considero a primeira quinzena de junho um período especial.

Em junho, julho e agosto há céus de um azul espetacular, às vezes muito frio, mas gostoso, chove pouco. Em julho há o festival de inverno, bom para aliar com passeios para a família, mas a cidade lota bastante. Não tenho experiência nos famosos meses de setembro e outubro, porque nos últimos cinco anos temos ido para a África do Sul nessa época, mas com certeza é um período muito bom. Entre novembro e fevereiro chove com freqüência, mas também é bom para as aves. Ainda é possível ver filhotes grandes acompanhando os adultos. Vemos os filhotões da maria-faceira, de saí-azul, sabiás, quetes. Foi num mês de fevereiro que vimos um bando de gaviões-tesoura dando rasantes no Amantikir, se alimentando de frutas silvestres, nem sabia desse lado vegetariano deles. Os meses de março e abril não costumam ser famosos, mas foi em um mês de março que peguei meus melhores papagaios-de-peito-roxo, pousados na araucária do vizinho, namorando.

Em Campos já peguei dois eventos naturais que renderam algumas das minhas maiores alegrias passarinheiras e melhores fotos: uma floração de cerejeiras em junho de 2010 que atraiu gaturamos-bandeira em um dia com sol, e uma floração de uma frutinha silvestre, uma bolinha cor-de-rosa que dá em uma planta que parecem canudos verdes em vários ângulos (se alguém souber o nome da planta, agradeço). É uma planta que fica nos troncos de pinheiros-bravos. Em junho de 2011 fiquei mais de duas horas acompanhando um casal de gaturamos-rei comendo essas frutinhas. Não estavam muito baixos, mas ficaram por lá, e o macho cantava muito, foi lindo.

Se você está começando a passarinhar, é recomendável contratar um guia ou ter a companhia de uma pessoa que conhece a região. Não há problemas de segurança ou de se perder, mas talvez você fique com a sensação de que está vendo poucas aves.

Mesmo com guia, é importante você ter isso em mente: em uma lagoa com muitas aves aquáticas, ou no litoral no local em que as aves ficam, você tem certeza de que verá aves. Nos outros lugares as aves vão aparecendo, e dependendo da época podem ser avistamentos esparsos, mas que valem muito a pena.

O Rafael Fortes, vulgo Magic Rafa, um dos melhores guias do Brasil. Ele mora em Taubaté, e já fiz muitas saídas com ele, algumas em Campos. Soube que o Thiago Carneiro também tem guiado, mas ainda não o conheço pessoalmente. O Rodrigo Dela Rosa certamente conhece bem a região. Eles podem ser contactados pelo Wikiaves > menu Informações > Buscar usuários.

Vou precisar de ajuda para esse tópico. Se você tiver indicações, por favor mande para o claudia.komesu@gmail.com. Como sempre ficamos na casa dos meus sogros, não sei indicar. Sei que o Edson Endrigo costuma ficar hospedado na Pousava Vale Verde quando vai pra lá. Fica no início da estrada para o horto. Algumas pessoas ficam na 3 Pinheiros.

Frequentamos pouco os restaurantes, não achamos nenhum especial. Já fui ao Manati Gril, em Capivari, um buffet com boa diversidade. O Baden Baden é famoso, barzinho, cervejas. O Churrasco ao Vivo não era grande coisa. O Gato Gordo era razoável, mas nada especial, não sei se mudou agora que saiu da rua dos gaturamos-rei. O Krokodilo novo, na estrada para o horto tem ambientação interessante mas a comida não é um destaque.

Gostamos de seguir a estrada lateral ao horto, que vai dar em Guaratinguetá, caminho de romeiros, e parar nas casas que têm uma placa ou cara de ter comida caseira, com alguns carros estacionados na frente e portão aberto. Porco ou frango caseiro, arroz, feijão, salada com folhas e pepinos geralmente da horta da casa, vista bonita, tranqüilidade, pessoas simpáticas e nada da sensação de que você está sendo explorado.

A cidade fica realmente difícil, evite a área urbana, evite ir ao horto depois das 10h, a menos que você goste da muvuca. Cuidado com as saídas dos feriados. Já pegamos um 7 de setembro que na volta para São Paulo, umas 11h da manhã, levamos mais de 1h30 para conseguir sair da cidade.

– Estrada lateral ao horto de Campos – a estrada de terra à direita, próxima à entrada do horto: é um dos pontos do caneleirinho-de-chapéu-negro, às vezes o papagaio-de-peito roxo,tiribas-de-testa-vermelha, cuiu-cuiús voando, gaviões (uma vez o gavião-pega-macaco deu um rasante incrível), o caminheiro-de-barriga-acanaleada, as marias-pretas, o surucuá-variado, uma vez o peito-pinhão, uma vez o surucuá-de-barriga-amarela, grimpeiro, saíra-lagarta, verdinho-coroado. A saudade-assobiadora também fica lá, e muita gente já a fotografou, menos eu.

– Estrada para a Pedra do Baú, já em São Bento do Sapucaí. Fica a uns 25km de Campos, mas vale bastante a pena. O passeio é na parte de terra da estrada, depois que você sai da pista de asfalto. (Ainda que meu melhor pavó tenha sido no asfalto, em uma manhã fria com o Rafael Fortes). É outro local bom para o caneleirinho-de-chapéu-preto, estalinho, guaracava-cinzenta, surucuá-variado, pica-pau-rei, o verdinho-coroado, saíra-lagarta.

– Amantikir – parque privado com jardins temáticos: sanhaçus-frade, em algumas épocas o sanhaçu-fogo, beija-flor-de-peito-azul, besourinho-de-bico-vermelho, gibão-de-couro, tiriba-de-testa-vermelha, às vezes um bando de gaviões-tesoura, tucano-de-bico-verde, arapaçu-de-garganta-branca, tecelões, uma vez em junho o beija-flor-de-bochecha-azul, um registro incomum no Estado. As aves variam, mas o local é bonito e agradável, sempre passo por lá. Você verá que várias fotos deste álbum foram feitas lá.

– Parque das Cerejeiras: mal pode ser chamado de parque: é uma faixa estreita de mata (uns 20- 30 metros ), grudada com a avenida principal de saída de Campos do Jordão. A faixa de mata margeia um córrego não muito limpo, mas no trecho que fica ao redor da Casa do Artesão, em frente aos Bombeiros, perto do Grande Hotel, mais ou menos na altura do número 4.000, há várias cerejeiras. Quando elas estão floridas atraem gaturamos-bandeira, tiribas-de-testa-vermelha, beija-flor-de-topete, saí-azul, sanhaçude-encontro-amarelo de um jeito que dá fotos lindas. Peguei essa floração dias 12 e 13 de junho de 2010. Em 2011 fui para lá na mesma época, mas uma geada tinha queimado as flores em vários locais da cidade.

Há um outro parque das cerejeiras, o Sakura, onde acontece um Festival de Cerejeiras em julho. Claro que vale a pena ir se elas estiverem floridas, só tente evitar os dias do festival, quando há dezenas de ônibus.

– Pousada 3 Pinheiros. Mantinha, não sei se anda mantém, um bebedouro que atraía o beija-flor-de-topete. Há uma cerejeira dentro da área da pousada, e quando está florida é uma festa, é possível fotografar as aves bem de perto, como o estrelinha-ametista e a saíra-lagarta fotografada pelo Francisco Kallen, dono da pousada, que ganhou menção honrosa no Avistar de 2011. Há uma mata razoável nos arredores da pousada. O gavião-pega-macaco costuma passar por lá, e as tesourinhas-da-mata em algumas épocas. Já fotografei tangará e fruxu no jardim deles. É um lugar que tem muitas aves, mas que parei de ir porque da última vez que tentei a Maria Teresa nos proibiu de entrar, disse que o quintal era só para os hóspedes da pousada. Fiquei surpresa, porque das outras vezes éramos bem-vindos. Já ouvi falar de gente que foi depois disso, não estava hospedado, mas pôde fotografar. É um lugar que vale a pena conhecer, principalmente se o beija-flor-de-topete estiver freqüentando o bebedouro, mas antes entre em contato com o Francisco Kallen, via o Wikiaves ou pelo site da 3 Pinheiros. www.pousada3pinheiros.com.br

Se o jardim estiver disponível apenas para os hóspedes, e você não estiver hospedado por lá, pode tentar passear pelas estradas ao redor, onde parece haver uma boa mata.

 

E o próprio horto de Campos? Com certeza é um bom local. Temos fotos de 2006-2007 de lá, de um caneleirinho-de-chapéu-preto e de um pavó, nas áreas próximas dos viveiros de plantas. Na época nem sabíamos que aves eram aquelas. Antes das 10h há pouca gente circulando. Se você for em feriados ou em julho é importante ir cedo, porque a partir das 10h o parque enche de ter fila grande de carros para entrar.

Passei quase 10 anos sem frequentar o local por causa das restrições à fotografia, mas em março de 2016 foi publicada uma portaria normativa que deixa claro que ninguém pode ser proibido de passarinhar, e agora há esperanças :)  Fui passarinhar lá em março, para comemorar a portaria. Um fim de semana com poucas aves, e não temos certeza do potencial da área central para ver aves, porque a região central tem muitos pinheiros e pouca mata nativa. Mas é um local bem agradável, e você pode entrar em contato com a gestora para pedir autorização para entrar mais cedo: claudiaoliveira@fflorestal.sp.gov.br. Ela deverá lhe pedir para preencher o cadastro e os termos de conhecimento de risco e de responsabilidade, você pode ver esses documentos aqui: http://virtude-ag.com/biblioteca-portaria-de-observacao-de-aves-da-fundacao-florestal-mar2016/

Esta é a lista de aves de Campos do Jordão, extraída do Wikiaves em fevereiro de 2012. 240 espécies. Nome científico, nome popular, quantidade de fotos postadas, e a última coluna é minha opinião sobre a probabilidade de você ver a ave.

É preciso entender a quantidade de fotos postadas no Wiki: uma grande quantidade não é sinônimo de abundância da espécie. Por exemplo, há muitos tico-ticos, mas as pessoas não têm interesse em fotografá-los ou postá-los. Já o caneleirinho-de-chapéu-preto, todos que vão querem registrar e postar. Algumas fotos têm o número zero porque só há registro sonoro.

Espécie Nome Comum Fotos Probabilidade
Accipiter striatus gavião-miúdo 7 Baixa
Buteo brachyurus gavião-de-cauda-curta 7 Baixa
Elanoides forficatus gavião-tesoura 13 Alta
Elanus leucurus gavião-peneira 1 Baixa
Geranoaetus albicaudatus gavião-de-rabo-branco 4 Média
Geranospiza caerulescens gavião-pernilongo 3 Baixa
Leptodon cayanensis gavião-de-cabeça-cinza 2 Baixa
Parabuteo leucorrhous gavião-de-sobre-branco 1 Baixa
Rupornis magnirostris gavião-carijó 19 Alta
Spizaetus tyrannus gavião-pega-macaco 37 Média
Chloroceryle amazona martim-pescador-verde 1 Baixa
Chloroceryle americana martim-pescador-pequeno 7 Baixa
Amazonetta brasiliensis pé-vermelho 1 Baixa
Dendrocygna viduata irerê 1 Baixa
Streptoprocne biscutata taperuçu-de-coleira-falha 1 Baixa
Streptoprocne zonaris taperuçu-de-coleira-branca 1 Baixa
Ardea alba garça-branca-grande 1 Média
Butorides striata socozinho 2 Baixa
Egretta thula garça-branca-pequena 3 Alta
Nycticorax nycticorax savacu 1 Baixa
Syrigma sibilatrix maria-faceira 5 Alta
Malacoptila striata barbudo-rajado 8 Baixa
Nystalus chacuru joão-bobo 1 Média
Hydropsalis forcipata bacurau-tesoura-gigante 16 Baixa
Hydropsalis longirostris bacurau-da-telha 5 Baixa
Hydropsalis torquata bacurau-tesoura 1 Baixa
Piranga flava sanhaçu-de-fogo 52 Média
Cariama cristata seriema 2 Média
Cathartes aura urubu-de-cabeça-vermelha 1 Baixa
Coragyps atratus urubu-de-cabeça-preta 6 Alta
Sarcoramphus papa urubu-rei 2 Baixa
Vanellus chilensis quero-quero 8 Alta
Coereba flaveola cambacica 2 Alta
Columba livia pombo-doméstico 2 Alta
Leptotila verreauxi juriti-pupu 16 Baixa
Patagioenas picazuro pombão 21 Alta
Patagioenas plumbea pomba-amargosa 3 Baixa
Zenaida auriculata pomba-de-bando 1 Média
Conopophaga lineata chupa-dente 7 Baixa
Cyanocorax chrysops gralha-picaça 66 Alta em alguns pontos
Cyanocorax cristatellus gralha-do-campo 16 Baixa
Phibalura flavirostris tesourinha-da-mata 29 Alta na primavera
Pyroderus scutatus pavó 15 Baixa
Tijuca atra saudade 28 Alta em alguns pontos
Penelope obscura jacuaçu 45 Alta
Crotophaga ani anu-preto 3 Alta
Guira guira anu-branco 2 Média
Piaya cayana alma-de-gato 2 Média
Dendrocolaptes platyrostris arapaçu-grande 13 Baixa
Lepidocolaptes angustirostris arapaçu-de-cerrado 5 Média
Lepidocolaptes falcinellus arapaçu-escamado-do-sul 41 Alta
Lepidocolaptes squamatus arapaçu-escamado 14 Baixa
Sittasomus griseicapillus arapaçu-verde 11 Média
Xiphocolaptes albicollis arapaçu-de-garganta-branca 6 Média
Xiphorhynchus fuscus arapaçu-rajado 3 Baixa
Donacospiza albifrons tico-tico-do-banhado 0 Baixa
Embernagra platensis sabiá-do-banhado 10 Média
Haplospiza unicolor cigarra-bambu 4 Baixa
Poospiza lateralis quete 107 Alta
Poospiza thoracica peito-pinhão 28 Baixa
Sicalis citrina canário-rasteiro 1 Baixa
Sicalis flaveola canário-da-terra-verdadeiro 4 Média
Sporophila caerulescens coleirinho 6 Baixa
Volatinia jacarina tiziu 2 Média
Zonotrichia capensis tico-tico 45 Alta
Caracara plancus caracará 15 Alta
Falco femoralis falcão-de-coleira 8 Média
Falco sparverius quiriquiri 2 Média
Herpetotheres cachinnans acauã 2 Baixa
Micrastur ruficollis falcão-caburé 3 Baixa
Micrastur semitorquatus falcão-relógio 1 Baixa
Milvago chimachima carrapateiro 32 Alta
Chamaeza ruficauda tovaca-de-rabo-vermelho 9 Baixa
Chlorophonia cyanea gaturamo-bandeira 29 Média
Euphonia cyanocephala gaturamo-rei 5 Baixa
Sporagra magellanica pintassilgo 32 Alta em alguns pontos
Anabacerthia amaurotis limpa-folha-miúdo 1 Baixa
Certhiaxis cinnamomeus curutié 1 Média
Cranioleuca pallida arredio-pálido 22 Alta
Furnarius rufus joão-de-barro 4 Alta
Heliobletus contaminatus trepadorzinho 33 Média
Leptasthenura setaria grimpeiro 31 Alta em alguns pontos
Lochmias nematura joão-porca 14 Alta
Philydor rufum limpa-folha-de-testa-baia 13 Baixa
Synallaxis cinerascens pi-puí 1 Baixa
Synallaxis spixi joão-teneném 8 Média
Syndactyla rufosuperciliata trepador-quiete 4 Média
Xenops rutilans bico-virado-carijó 7 Baixa
Hylopezus nattereri pinto-do-mato 0 Baixa
Progne chalybea andorinha-doméstica-grande 1 Baixa
Progne tapera andorinha-do-campo 2 Média
Pygochelidon cyanoleuca andorinha-pequena-de-casa 11 Média
Stelgidopteryx ruficollis andorinha-serradora 4 Média
Tachycineta leucorrhoa andorinha-de-sobre-branco 3 Baixa
Cacicus chrysopterus tecelão 39 Média
Chrysomus ruficapillus garibaldi 3 Baixa
Molothrus bonariensis vira-bosta 10 Alta
Psarocolius decumanus japu 1 Baixa
Piprites pileata caneleirinho-de-chapéu-preto 64 Alta em alguns pontos
Platyrinchus mystaceus patinho 1 Baixa
Mimus saturninus sabiá-do-campo 7 Média
Baryphthengus ruficapillus juruva-verde 1 Baixa
Anthus hellmayri caminheiro-de-barriga-acanelada 27 Alta em alguns pontos
Odontophorus capueira uru 0 Baixa
Basileuterus culicivorus pula-pula 12 Média
Basileuterus leucoblepharus pula-pula-assobiador 28 Alta
Parula pitiayumi mariquita 7 Média
Phalacrocorax brasilianus biguá 1 Baixa
Campephilus robustus pica-pau-rei 14 Média
Colaptes campestris pica-pau-do-campo 16 Alta
Colaptes melanochloros pica-pau-verde-barrado 2 Média
Dryocopus lineatus pica-pau-de-banda-branca 4 Baixa
Melanerpes candidus pica-pau-branco 2 Média
Piculus aurulentus pica-pau-dourado 19 Média
Picumnus cirratus pica-pau-anão-barrado 3 Baixa
Veniliornis spilogaster picapauzinho-verde-carijó 11 Média
Chiroxiphia caudata tangará 21 Média
Neopelma chrysolophum fruxu 17 Média
Tachybaptus dominicus mergulhão-pequeno 1 Baixa
Amazona aestiva papagaio-verdadeiro 1 Baixa
Amazona vinacea papagaio-de-peito-roxo 41 Alta em alguns pontos
Aratinga aurea periquito-rei 2 Baixa
Aratinga leucophthalma periquitão-maracanã 4 Baixa
Brotogeris chiriri periquito-de-encontro-amarelo 3 Baixa
Diopsittaca nobilis maracanã-pequena 3 Baixa
Forpus xanthopterygius tuim 1 Baixa
Pionopsitta pileata cuiú-cuiú 23 Alta, mas passa voando
Pionus maximiliani maitaca-verde 20 Alta
Pyrrhura frontalis tiriba-de-testa-vermelha 154 Alta
Aramides saracura saracura-do-mato 31 Média
Pardirallus nigricans saracura-sanã 1 Baixa
Ramphastos dicolorus tucano-de-bico-verde 35 Média
Ramphastos toco tucanuçu 1 Baixa
Eleoscytalopus indigoticus macuquinho 1 Baixa
Scytalopus speluncae tapaculo-preto 24 Média
Hemitriccus obsoletus catraca 4 Baixa
Leptopogon amaurocephalus cabeçudo 1 Baixa
Mionectes rufiventris abre-asa-de-cabeça-cinza 10 Alta em alguns pontos
Phylloscartes difficilis estalinho 14 Alta em alguns pontos
Phylloscartes ventralis borboletinha-do-mato 48 Alta
Poecilotriccus plumbeiceps tororó 4 Baixa
Todirostrum cinereum ferreirinho-relógio 2 Baixa
Todirostrum poliocephalum teque-teque 0 Baixa
Tolmomyias sulphurescens bico-chato-de-orelha-preta 0 Baixa
Asio clamator coruja-orelhuda 2 Baixa
Asio stygius mocho-diabo 2 Baixa
Athene cunicularia coruja-buraqueira 2 Baixa
Megascops choliba corujinha-do-mato 10 Baixa
Strix hylophila coruja-listrada 15 Baixa
Batara cinerea matracão 5 Baixa
Drymophila genei choquinha-da-serra 30 Média
Dysithamnus xanthopterus choquinha-de-asa-ferrugem 2 Baixa
Mackenziaena leachii borralhara-assobiadora 2 Baixa
Thamnophilus caerulescens choca-da-mata 22 Alta
Thamnophilus ruficapillus choca-de-chapéu-vermelho 3 Baixa
Dacnis cayana saí-azul 66 Alta
Lanio melanops tiê-de-topete 3 Baixa
Orchesticus abeillei sanhaçu-pardo 2 Baixa
Pipraeidea melanonota saíra-viúva 21 Média
Saltator maxillosus bico-grosso 43 Média
Schistochlamys ruficapillus bico-de-veludo 3 Média
Stephanophorus diadematus sanhaçu-frade 71 Alta
Tachyphonus coronatus tiê-preto 6 Média
Tangara cayana saíra-amarela 57 Alta
Tangara desmaresti saíra-lagarta 54 Alta
Tangara ornata sanhaçu-de-encontro-amarelo 50 Alta
Tangara sayaca sanhaçu-cinzento 30 Alta
Tersina viridis saí-andorinha 5 Baixa
Crypturellus obsoletus inhambuguaçu 0 Baixa
Oxyruncus cristatus araponga-do-horto 1 Baixa
Pachyramphus castaneus caneleiro 1 Baixa
Pachyramphus polychopterus caneleiro-preto 11 Média
Pachyramphus validus caneleiro-de-chapéu-preto 6 Média
Pachyramphus viridis caneleiro-verde 14 Alta em alguns pontos
Amazilia lactea beija-flor-de-peito-azul 2 Média
Amazilia versicolor beija-flor-de-banda-branca 6 Média
Calliphlox amethystina estrelinha-ametista 3 Baixa
Chlorostilbon lucidus besourinho-de-bico-vermelho 31 Alta
Clytolaema rubricauda beija-flor-rubi 92 Alta
Colibri serrirostris beija-flor-de-orelha-violeta 3 Média
Eupetomena macroura beija-flor-tesoura 8 Alta
Florisuga fusca beija-flor-preto 3 Baixa
Heliothryx auritus beija-flor-de-bochecha-azul 1 Baixa
Leucochloris albicollis beija-flor-de-papo-branco 53 Alta
Phaethornis eurynome rabo-branco-de-garganta-rajada 10 Baixa
Stephanoxis lalandi beija-flor-de-topete 136 Alta em alguns pontos
Thalurania glaucopis beija-flor-de-fronte-violeta 18 Alta
Troglodytes musculus corruíra 6 Alta
Trogon rufus surucuá-de-barriga-amarela 2 Baixa
Trogon surrucura surucuá-variado 34 Alta em alguns pontos
Turdus albicollis sabiá-coleira 9 Média
Turdus amaurochalinus sabiá-poca 12 Alta
Turdus flavipes sabiá-una 9 Baixa
Turdus leucomelas sabiá-barranco 11 Alta
Turdus rufiventris sabiá-laranjeira 42 Alta
Turdus subalaris sabiá-ferreiro 3 Baixa
Attila phoenicurus capitão-castanho 1 Baixa
Camptostoma obsoletum risadinha 7 Média
Colonia colonus viuvinha 2 Alta
Contopus cinereus papa-moscas-cinzento 4 Baixa
Elaenia mesoleuca tuque 8 Média
Elaenia obscura tucão 4 Baixa
Elaenia parvirostris guaracava-de-bico-curto 1 Baixa
Empidonomus varius peitica 3 Baixa
Fluvicola nengeta lavadeira-mascarada 31 Alta em alguns pontos
Hirundinea ferruginea gibão-de-couro 12 Alta
Knipolegus cyanirostris maria-preta-de-bico-azulado 97 Alta
Knipolegus lophotes maria-preta-de-penacho 21 Média
Knipolegus nigerrimus maria-preta-de-garganta-vermelha 19 Média
Lathrotriccus euleri enferrujado 0 Baixa
Machetornis rixosa suiriri-cavaleiro 12 Média
Muscipipra vetula tesoura-cinzenta 25 Alta em alguns pontos
Myiarchus ferox maria-cavaleira 5 Baixa
Myiarchus swainsoni irré 3 Baixa
Myiodynastes maculatus bem-te-vi-rajado 5 Média
Myiophobus fasciatus filipe 3 Média
Myiozetetes cayanensis bentevizinho-de-asa-ferrugínea 1 Baixa
Myiozetetes similis bentevizinho-de-penacho-vermelho 10 Baixa
Phyllomyias fasciatus piolhinho 45 Alta
Phyllomyias griseocapilla piolhinho-serrano 28 Baixa
Phyllomyias virescens piolhinho-verdoso 12 Baixa
Pitangus sulphuratus bem-te-vi 21 Alta
Satrapa icterophrys suiriri-pequeno 5 Média
Serpophaga nigricans joão-pobre 23 Alta
Serpophaga subcristata alegrinho 18 Alta
Tyranniscus burmeisteri piolhinho-chiador 1 Baixa
Tyrannus albogularis suiriri-de-garganta-branca 1 Baixa
Tyrannus melancholicus suiriri 1 Média
Tyrannus savana tesourinha 14 Alta em algumas épocas
Xolmis cinereus primavera 9 Baixa
Xolmis velatus noivinha-branca 2 Baixa
Tyto alba coruja-da-igreja 2 Baixa
Cyclarhis gujanensis pitiguari 14 Alta
Hylophilus poicilotis verdinho-coroado 35 Alta em alguns pontos
Vireo olivaceus juruviara 4 Baixa