Parque-Nacional-Tijuca_05

 

  • Texto: João Sérgio Barros
  • Fotos: João Sérgio Barros e família

A fotografia de aves/natureza, vamos dizer, é um hobby. Mas de vez em quando tal “hobby” me proporciona uns retornos de indizível prazer, como o que com muita alegria compartilho aqui com vocês.

A Claudia Komesu (editora do site Virtude-ag.com) foi procurada pelo consórcio Paineiras/Corcovado (que administra o complexo turístico do Cristo Redentor, que por sua vez fica dentro da área do Parque Nacional da Tijuca) para fornecer fotografias sobre a biodiversidade da Mata Atlântica para uma exposição.

Tal exposição, que se chama Floresta Protetora e foi recém-inaugurada, é permanente e todos podem vê-la, gratuitamente, no novíssimo Centro de Visitantes das Paineiras, porta de entrada para o cartão postal do Brasil, o Cristo Redentor.

A Claudia me convidou junto com mais quatro amigos do Virtude (Claudio Lopes, Cristian Andrei, Ivan Cesar e Luiz Ribenboim). A proposta dela (e aí que achei o máximo) foi de reverter a venda das fotos para a SAVE, ONG que representa a Birdlife International no Brasil e que tem como missão salvar da extinção nossas aves mais ameaçadas. Conheço pessoalmente o trabalho deles, entre tantos destaco os projetos com o gravatazeiro (o grande Edson, que além de coordenador de projetos da SAVE, trabalha in loco pra salvar essa espécie magnífica, foi quem me apresentou o bicho), a ararinha-azul e a recém descoberta rolinha-do-planalto.

A exposição foi aberta ao público no sábado dia 30/07/16 e, no domingo, eu e minha família estivemos lá pra conferir. Compartilho algumas fotos que fizemos lá. O local ficou dez! E gostamos muito da exposição também!

Agradeço imensamente à amiga Claudia Komesu pela dupla oportunidade!

 

Observação de Claudia Komesu sobre o projeto do painel de fotos no Parque Nacional da Tijuca

Tatiana Belli entrou em contato comigo no final de março, explicou o projeto e perguntou se eu teria interesse em contribuir com fotos. Prontamente respondi que sim. É uma questão ideológica: a situação da natureza brasileira é muito ruim, e gostaria que todos sempre contribuíssem para chamar a atenção para a natureza, torná-la um assunto interessante e relevante.

Além de oferecer as fotos minhas e do Cris (Cristian Andrei, meu marido), falei pra Tatiana que eu poderia convidar outros birdwatchers para contribuírem. Convidei vários colegas que costumam participar do Virtude ou que me ajudam em outros projetos de divulgação. (Dado o porte do projeto gostaria de ter feito um convite aberto, mas a Tatiana pediu para limitar a quantidade de convites, senão ficaria difícil administrar o recebimento das fotos e as autorizações de uso das imagens).

Foi por sugestão de um dos colegas que em vez de ceder o uso das fotos (como costumo fazer), pedi que as fotos fossem remuneradas. Concordei que neste caso era certo pedir uma remuneração, e sugeri pro grupo que a gente doasse o valor pra SAVE. Todos gostaram da ideia.

Durante meses não soubemos quais seriam as fotos escolhidas ou qual o valor que eles poderiam pagar pelas fotos. Na verdade, eu não sabia nem quem tinha enviado fotos para a Tatiana, não intermediei isso, pedi para encaminharem diretamente. Foi só em julho que a Tatiana pode nos informar que usariam cerca de 90 fotos do nosso grupo, e que poderiam pagar R$ 10 mil. Estava em férias com a família quando vi o e-mail, avisei o grupo, e o João Sérgio se ofereceu para entrar em contato com a SAVE para efetuar a doação, que já está encaminhada.

Sei que a cessão de uso das fotos de birdwatchers é um assunto polêmico. Cada um tem sua própria opinião, mas como editora do Virtude-ag deixo registrada a minha: a natureza brasileira enfrenta muitos desafios, não só de destruição de habitat, ação de palmiteiros e caçadores, mas também o descaso geral. Pro governo a natureza é um empecilho ou no máximo moeda de troca, pra empresas não é um tema lucrativo o suficiente, pra maioria das pessoas é só um dos problemas do mundo. Mas uma imagem bonita fala mais do que mil palavras. Muitas pessoas se apaixonaram pela natureza porque um dia viram uma foto linda. E entre os que se apaixonaram pela natureza, alguns passaram a lutar por ela.

Por isso acredito que as imagens deveriam circular sempre. Qualquer pessoa que me pede fotos para um trabalho que ajuda a divulgar a natureza, eu sempre envio. E nunca me sinto dando a foto de graça, e sim ajudando a divulgar a natureza. A fotografia digital, a internet e as redes sociais mudaram muitas coisas do mundo, inclusive o valor comercial de uma imagem. Hoje o item mais precioso passou a ser o tempo das pessoas. Uma foto bonita sempre chama a atenção, mas há uma oferta enorme de imagens, e se eu puder influenciar, gostaria de ver uma imagem da natureza brasileira sendo divulgada.

Por motivos pessoais ando afastada do birdwatching. Mas o Virtude continua sendo uma boa referência na internet, e imagino que foi por ele que a Tatiana entrou em contato comigo. Se você também acredita na importância da divulgação da natureza brasileira, me escreva (claudia.komesu@gmail.com). Caso surja algum projeto, entro em contato e pergunto se você gostaria de contribuir com fotos sobre o tema tal. Acho improvável surgir algo do porte de um painel no parque mais visitado do Brasil, com remuneração, mas às vezes aparecem outros trabalhos, que sempre ajudam na divulgação da natureza.

Mais uma vez agradeço a boa vontade do João Sérgio, do Ivan Cesar, do Cláudio Lopes e do Luiz Ribenboim, que se dispuseram a separar diversas fotos e enviar para a Tatiana. E agradeço ao Cristian Andrei, que me dá carta branca pra usar as fotos dele. Agradeço também a paciência e gentileza da Tatiana Belli. É sempre um prazer e uma honra participar de projetos com pessoas generosas e que acreditam no bem do mundo.

 

Ações a favor da divulgação do birdwatching e da conservação da natureza (+)