O GR.I.F.O.O. é o Grupo de Interessados em Fotografia e Observação Ornitológica. Foi fundado em novembro de 2011 e conta com integrantes das cidades de Americana, Santa Barbara D´Oeste, Limeira, Tietê, Iracemápolis, Monte-Mor e Piracicaba. Qualquer pessoa que se identifique com as propostas do grupo pode participar, basta que mande um e-mail para grifoo-subscribe@yahoogrupos.com.br e faremos sua inscrição para que comece a receber os e-mails do grupo. Já fizemos 10 saídas oficiais, uma média de 1 por mês, mas além dessas saídas, pelo grupo de discussão é comum algum membro convidar para um passeio rápido e informal, por exemplo, para ver uma coruja que viu dia desses na estrada tal, altura do km tal e convida quem mais tiver interesse em acompanhá-lo. Quem pode e quer responde e combinamos em ir, na melhor forma possível para aqueles integrantes.

 

Por uma conversa no Facebook, prometi à Claudia Komesu contar sobre as atividades do GRIFOO, para dar o exemplo de como um grupo de fotografia pode ajudar na conscientização ambiental. Para escrever este post pensei muito e logo de início me lembrei de algo que tenho como princípio filosófico: “Não basta mudar o meio, esperando com isto mudar o homem. Um homem que se deixa influenciar pelo meio é fraco. Devemos mudar o homem, pois um homem forte construirá um meio digno.”

Poderíamos conversar agradavelmente por horas sobre esta verdade, mas na prática em questão acredito que apenas propor soluções pontuais que afetem o meio ambiente, esperando com isto afetar o homem não funciona.

A princípio achei que mudar a correnteza seria impossível, mas lembrei que outros seguiram pelo mesmo caminho e analisando o exemplo deixado por eles percebi que todos mudaram primeiro a eles mesmos, se ofereceram como exemplo vivo daquilo que acreditavam e conquistaram amigos. Outros acabaram se encantando com aquela nova forma de caminhar e também se juntaram… achei a ideia muito boa!

Na prática resolvi usar aquilo que tinha em mãos, a fotografia.

Percebi que muitas pessoas se encantavam com as fotos de natureza que eu fazia e me perguntavam como poderiam fazer fotos assim também, outros sabiam fotografar muito bem mas não tinham nenhum foco de inspiração. Encontrei ainda pessoas que apenas gostavam de apreciar a natureza, os pássaros e as flores, mas não se dispunham a fotografá-los (muitas vezes por não terem equipamento.). O ciclo parecia estar completo afinal eu tinha uma Ideia, uma forma e as pessoas para realizá-la.

Chamei então pessoas que me pediam dicas de fotografia, procurei no WikiAves usuários nas cidades vizinhas à minha e contatei entusiastas do hobby fotográfico, convocando todos a formarmos um grupo, com a intenção de nos reunirmos para tratarmos de assuntos ligados ao Birdwatching e isso foi um erro. Alguns não quiseram porque não gostavam de observar ou fotografar aves, outros porque não teriam como nos acompanhar nas saídas.

Mudei a proposição e chamei a todos para montarmos um grupo que trataria de Fotografia em todas as suas possíveis manifestações, inclusive a Ornitológica. Também teríamos aqueles que só se interessariam por Birdwatching e ficariam livres de participar das atividades técnicas da fotografia, enfim procurei a princípio atender a necessidade de todos.

O grupo nasceu e batizamos de GR.I.F.O.O. – Grupo de Interessados em Fotografia e Observação Ornitológica e de cara já tivemos membros valorosos na composição, mas o que mais importou foi a miscelânea de tipos de pessoas que vieram, pois tínhamos desde engenheiros, passando por comerciantes e veterinários, profissionais liberais até donas de casa.

Propusemos cursos de Photoshop dados por aqueles que eram entusiastas da Fotografia mais técnica e isto foi um grande elemento de integração. Marcamos uma primeira saída a campo deixando claro que o objetivo não ERA APENAS o Birdwatching, mas sim a integração do grupo, seja na pratica fotográfica, na troca de informações Ornitológicas ou simplesmente na partilha de um prato de carne assada no boteco local. Aliás as palavras usadas sempre foram Integração e Respeito, afinal cada um participaria se quisesse e pudesse.

A ideia começou a dar frutos, é claro que nem todos se mantiveram, mas um grupo de Amigos se fortaleceu, o prazer de estarmos juntos era maior do que as nossas vontades iniciais, aquele que não gostava de fotografar aves fazia questão de nos acompanhar e sempre se encarregava de NOS fotografar, além das belezas dos locais por onde passávamos, já aquele que apenas gostava de observar, sempre estava ao nosso lado para nos instruir sobre os hábitos ou particularidades das espécies e nós que acabamos nos beneficiando das virtudes que estes nossos amigos tinham.

Tudo isto fez com que algo acontecesse naturalmente: a nossa consciência se expandiu! Começamos a observar mais o meio ambiente em que estávamos, víamos as suas belezas, mas também os seus problemas. Começamos com algo bem simples… em cada local em que fôssemos passear procuraríamos recolher o lixo que encontrássemos. Novas proposições surgiram como a de plantarmos uma árvore para cada LIFER conseguido, e já se estuda a forma correta e viável de fazê-lo.

Através das fotos conseguidas, agora com boa qualidade (pois além de troca de informações e experiências também começaram as trocas de equipamentos e venda aos amigos com preços e condições muito boas) as pessoas de fora do Grupo também começaram a ver uma nova natureza, admirarem isto e se CONSCIENTIZAREM de sua existência e necessidade de conservação da mesma.

Tenho plena consciência de que estamos no início ainda, muitas arestas têm de ser aparadas e muito ainda deve se aprender, mas acredito que já estamos fazendo alguma diferença no meio, dando um exemplo de que algo pode ser feito, não por revolução impondo uma conduta, mas por evolução, mostrando um caminho.

Precisamos ainda mudar um conceito vigente (baseado no egoísmo nato do ser humano) de que a observação ou registro de uma ave é troféu ou conquista individual, se eu tenho determinada foto ninguém mais poderá ter… isso só atrasa nossa cruzada. Por isto temos procurado divulgar ao máximo nossas “conquistas” e incentivando outros observadores a conhecerem o local, vamos junto até para mostrar onde fica, queremos nos confraternizar com outros grupos ou indivíduos, afinal não somos donos da natureza!

Bom… é isso que tenho para falar sobre a nossa experiência até este momento, espero que seja útil de alguma forma.

Obrigado e grande abraço.

Sivonei Pompeo

 

Ações a favor da divulgação do birdwatching e da conservação da natureza (+)