• Texto e fotos: Juliana Diniz
  • Originalmente publicado em: http://www.bloganimalchic.com/2014/04/14/os-quatis-do-pet/
  • Obs de Claudia Komesu, editora do Virtude-AG: O Parque Ecológico do Tietê, em São Paulo, na saída para a Ayrton Senna, é um parque grande, em que é possível entrar às 6h. Não cobra ingresso, e lá os birdwatchers são bem-vindos. É possível alugar bicicletas no parque das 8h às 16h, R$ 7/hora. Parece ser legal um bike + birds, já que o parque é grande e o terreno é plano. O trecho que dá na rodovia está cheio de árvores frutíferas. Logo faço um post falando dos passeios.

Hoje [no blog animal chic] eu comecei a mostrar para vocês algumas aves que fotografei no PET – Parque Ecológico do Tietê – um parque aqui de São Paulo. Durante os passeios que fizemos lá no começo do ano, não estávamos sozinhos na trilha: quatis nos acompanhavam por uma boa parte do caminho!

Bastava que alguém do grupo abrisse a bolsa para pegar uma barrinha de cereal ou uma bateria extra para a câmera que eles logo apareciam. E chegavam muito perto!

Faltava pedir um pedaço da barrinha ou um pouco da nossa água! :)

Não, eles não estão passando fome! Estão apenas acostumados com humanos que passeiam pelo parque!

Deve ser algo irresistível! Imaginem: você está passeando pelo parque com seu filho e um animalzinho bonitinho desses se aproxima! Lógico que você joga uma pipoca, na esperança de que ele chegue mais perto e deixe seu filho ainda mais maravilhado!

Lógico, é uma reação normal. Mas não é a mais bacana!

Nossa pipoca, barrinha, chocolate ou qualquer outra coisa que tenhamos na bolsa é comida para humanos! Pode fazer mal para esses animais. Além disso, uma aproximação tão grande também pode ser perigosa. Por descuido, um quati ou um macaquinho pode acabar nos mordendo.

A gente pode evitar esse trauma, né?

Ame a natureza! E prove esse amor demonstrando respeito pelos animais!

Ah, só pra reforçar, nós não demos nenhum alimento para os quatis. Eles nos rodearam muito! Apesar de terem chegado perto, estávamos com roupas e calçados apropriados para trilha, sem alimentos nas mãos, e não aproximamos mãos dos focinhos dos quatis, então julgamos que o risco de levar uma mordida era baixo. Mas quem tenta dar comida pode se machucar. O PET fez um cartaz que mostra claramente uma mão com dedos sangrando, de uma mordida de quati.

Conseguimos fazer várias fotos… Depois de algum tempo, os quatis desistiram e foram embora!

Beijos, Ju Diniz