Sugestões sobre como ser mais feliz com seu blog ou projeto, com base em planejamento, estruturação e gestão de expectativas. Apresentação feita no painel de blogueiros do Avistar 2012.

  • Apresentação feita por Claudia Komesu, para o painel de blogueiros do Avistar, no dia 20 de maio de 2012
  • Link da apresentação em ppsx, com as imagens e animações
  • Fotos: Murilo Coda. Esse é outro que (assim como o Cris, nas fotos de paisagem) vê tudo enquadrado, parece que nasceu com uma câmera dentro da cabeça. Só as fotos das girafas são minhas.

Galeria de fotos usadas na apresentação, e outras que foram selecionadas da linda galeria do Murilo, mas não foram usadas:

Se preferir, abaixo segue o texto da apresentação com comentários e links que não estão presentes no pps

Planejamento, estrutura e gestão de expectativas de blogs ou de projetos

 

Por que Claudia acha que pode falar de planejamento, estrutura e gestão de expectativas? Qual a vivência de Claudia com blogs, planejamento e felicidade?

  • Mantive um blogspot anônimo durante alguns anos, e relativamente famoso
  • Blog pessoal de fotografia e viagens de natureza: photorats.webs.com, mantido durante mais de 3 anos. Atualmente meu site pessoal, com fotos minhas, do meu marido e do meu enteado é o heart3.me.
  • Trabalhei durante alguns anos para uma consultoria econômica (a LCA, por meio da Praticare), e tenho experiência com ouvidoria, gestão de equipe e gestão de projetos
  • Sou uma pessoa que está sempre pensando em formas de viver com mais alegria e menos frustrações

 

Quem monta um blog (e quer ser feliz com o seu blog) deveria sempre

  • só se envolver com temas pelos quais é apaixonado
  • turbinar a sua paixão
  • ser como uma girafa
  • executar um bom planejamento
  • pensar no leitor
  • estar preparado para a solidão
  • provar que é humano

 

 

 

Por que a paixão é importante?

Porque um bom blog demanda dedicação, tempo e às vezes algum dinheiro

  • se você pretende manter seu projeto por mais do que alguns meses
  • se você quer alimentá-lo com frequência
  • e produzir um material que atraia a atenção das pessoas

Sem um super-combustível, você não vai longe

 

Turbine a sua paixão

A paixão é importante, mas você não precisa esperar que ela faça todo o trabalho sozinha. Ajude-a funcionar: elogios, comentários, e-mails de contato, tudo isso dá gás para você se dedicar ainda mais ao seu blog (em vez de abandoná-lo)

Então jogue pra ganhar e pense no que você pode fazer para aumentar sua audiência:

  • Melhorar o visual
  • Caprichar mais no conteúdo
  • Associar-se a outros blogs
  • Divulgação
  • Comprar plugins e templates (muitas vezes não vale a pena fazer tudo sozinho. Uma plataforma como o WordPress oferece centenas de soluções prontas, gratuitas ou às vezes baratas como US$ 7, US$ 15. A Virtude usa um template pago e vários plugins, alguns pagos. Logo faço um post passando a lista de plugins).

 

Seja como a girafa:
cabeça nas nuvens…

Sonhar alto é essencial em qualquer campo

Sonhar alto é diferente de viver no mundo da lua

Descubra o que é realmente importante pra você e trace uma meta alta, pode ser até ridícula

Neste caso, o importante não é alcançar a meta. O que importa é o espaço de crescimento que você coloca à sua volta, as bases que você cria, e sua disposição em agir para alcançar a meta.

…mas ao mesmo tempo mantenha os pés no chão

Trace planos exequíveis, seja conservador-pessimista nas suas expectativas, principalmente no que depender da ação dos outros.

Sempre relembre qual era sua motivação inicial e suas projeções conservadoras. Ajuda a valorizar o que você conseguiu em vez de lamentar o que ainda não aconteceu.

[ antes que você tente montar a girafa e estranhe a diferença de cores, já aviso: são duas fotos de bichos diferentes]

 

 

Um bom planejamento cria suas bases e definições

  • o que é
  • por que você quer fazer isso?
  • o que você espera conseguir com ele?
  • pesquisar o que existe de semelhante (importante pesquisar em inglês também)
  • público-alvo
  • como será feito (ferramenta que você já conhece, ou vai exigir aprender alguma coisa nova? Outra pessoa irá fazer? Essa pessoa é confiável para produção e manutenção da estrutura?)
  • quem cuidará da manutenção?
  • quem resolverá os problemas?
  • como será a divulgação?
  • quanto vai custar em dinheiro, e você tem esse dinheiro?
  • quanto vai exigir do seu tempo, e você tem esse tempo?
  • seu projeto requer parceiros? São pessoas em que você pode confiar?
  • você é capaz de liderar e gerenciar as pessoas da equipe, ou terá alguém para fazer isso?
  • se há outros envolvidos, é preciso pelo menos ter uma ideia preliminar de responsabilidades, direitos, créditos, recompensas e até punições.
  • o ideal também é que você tente determinar se haverá algum tópico polêmico, para que a pessoa entre no projeto informada sobre isso
  • em quanto tempo você espera que ele comece a dar retorno?
  • como é o cenário best case?
  • como é o cenário worst case?
  • você está preparado para os dois cenários?

Reserva um bom tempo para o planejamento e, se puder, discuta-o com outra pessoa.

 

Quem cria um blog, e quer ser lido, deve sempre se preocupar com o leitor

Antes de começar a criar páginas, pense na estrutura do site

  • É fácil começar a criar páginas. Resista à tentação. Comece com lápis e papel, ou no máximo caixinhas do PowerPoint.
  • Gaste vários dias pensando em organização das seções, hierarquia, ligação entre as páginas.
  • Quanto mais caprichada a estrutura, melhor a navegação e menos retrabalho depois.

 

Pense nas páginas como um terreno com relevos

A forma mais simples de fazer uma página é escrever um texto e jogá-lo na página. Considere isso apenas a primeira etapa

  • Crie títulos
  • Preocupe-se sempre em situar o leitor: em que seção, do que você está falando, quem é o autor do texto e das fotos, sites
  • Não faça posts longos, principalmente em aberturas de páginas. Faça resumos, chamadas, e crie hyperlinks.
  • Use fotos chamativas
  • Capriche na disposição dos elementos
  • Crie o máximo de padrão (padrão de tipo de letra, cores usadas no blog, tamanho da letra, margens, tamanho da foto, posição do menu ou da coluna, quanto mais você conseguir padronizar, maior a sensação de que seu blog é profissional)

 

Prove que você é humano

  • o lado bom do ser humano, não o ruim.
  • o blog não deve ser usado para desabafar. Faça isso com amigos ou num blog anônimo.
  • seja sempre gentil, amigável, grato. Isso atrai pessoas boas.
  • não cobre determinados comportamentos de quem não tem aquilo como uma forte experiência profissional. Mesmo entre os profissionais há muito espaço para mal entendidos.
  • o blog é como uma fotografia: é a ilusão da realidade, não a realidade. Escolha o recorte mais favorável.

Eu seria reprovada no teste várias vezes. Não tenho chiliques, e só briguei com alguém em público uma vez nessa vida passarinheira (não exatamente uma briga, uma provocação anônima sem dizer o nome da pessoa, mas a pessoa recebeu o recado e ficou chateada. Me arrependo, hoje não teria feito, teria só reclamado para os amigos). Mas o fato é que já fiz muitas bobagens, principalmente por não saber falar minha opinião de uma forma gentil o suficiente, ou por não saber praticar a função enfática da linguagem. Hoje em dia, se tenho uma opinião que pode soar como crítica, ou não falo, ou falo com muito cuidado, pedindo mil desculpas, e deixando claro que é só uma sugestão.

Editores, ainda mais editores capricornianos, acham que estão sempre certos e geralmente não conseguem evitar pensar em como algo poderia ser melhor. Já fui desumana muitas vezes, ao falar minha opinião de uma forma seca demais, ou que deveria até ter me calado. Se serve de consolo sobre a justiça divina, levei uma na cabeça recentemente: durante a produção da revista da Virtude o prazo era curto e eu decidi que não ficaria pedindo opinião das pessoas. Criei a estrutura, escrevi o conteúdo, escolhi as fotos, rascunhei o projeto gráfico no PowerPoint, eu e o Alessandro estávamos achando bonito, quando mostrei pro Guto Carvalho, o João Quental e o Marco Crozariol eles também falaram que estava bacana, mas você nunca tem certeza se é só gentileza das pessoas ou se é uma opinião sincera. Tenho amigos editores, a quem mandei o PDF na fase final de produção, pedi revisão, mas também pedi (sem a ênfase necessária): “elogios. Se tiver algo que vocês realmente não gostaram da estrutura, por favor só me falem em julho, quando já tiver passado o Avistar e o Rio+20”. Eles fizeram a revisão no final de semana, apesar de trabalharem muito durante a semana, mas como estavam muito cansados, não se atentaram ao meu tímido pedido, e não mandaram os elogios. Só um e-mail que começava com “segue aí…”. Eu não sabia se eles tinham gostado ou não, se a revista estava ruim, e até chorei, e depois fiquei pensando que eu merecia aquilo.

 

Estar preparado para a solidão

Geralmente a construção de um sonho é algo solitário

Sonhos e timing das pessoas são diferentes

Tenha um amigo para te apoiar e te animar, mas não espere apoio e incentivo de todos, muito menos com frequência

E uma dica pessoal: quando você estiver precisando de ajuda e apoio, diga isso bem claramente. Seus amigos são seus amigos, e eles querem te ajudar, principalmente nos momentos difíceis, mas você precisa deixar claro que está precisando de colo. Em alguns momentos mais críticos, quando você está realmente frágil, ou se seu amigo é do tipo racional que costuma argumentar, vale a pena começar a conversa com “por favor, não me fale de argumentos, não discuta comigo o que aconteceu, apenas diga que estou certa, ou que vai passar, ou me ajude a xingar alguém, é só um momento, logo passa”.

 

Não se preocupe em seguir receita de bolo (como desta apresentação)

Nem de fracassar ou de errar, ou de ficar feio ou de não despertar interesse.

Qualquer projeto sempre serve para ganhar experiência.

Talvez o único cuidado seja com a imagem: você pode fracassar, não ter audiência, mas sempre mantenha a máscara social: não brigue em público, não xingue, não tenha chilique. A internet tem um alcance amplo e incontrolável.

Eu gostaria de ter contado isso na apresentação, mas estava preocupada em não atrasar, e com receio de começar a contar causos e dispersar muito do tema principal, mas aqui eu conto (se você estava na apresentação, espero que me perdoe, mas como eu disse que o arquivo estaria disponível para download, pensei que se você esivesse interessado pelo tema leria esta parte que vou contar agora):

a Virtude não segue meu scritp em vários pontos. Fiz algo que meu ex-chefe, o diretor de marketing da consultoria, teria me xingado muito: mudei algo fundamental do projeto depois de já ter começado. Quando fiz o planejamento da Virtude, em julho de 2011, não imaginei a parte que hoje é a mais importante: ser um site colaborativo. Não por me achar auto-suficiente, mas por nunca ter me imaginado capaz de atrair pessoas e depois gerenciar as contribuições dessas pessoas. Sou um ermitão, não participo mais do Wikiaves, não gosto de sair em grupos, sou chata, como conseguiria ter colaboradores?

Comecei a trabalhar no site no final de dezembro de 2011, em março comecei a mostrar para algumas pessoas e, numa troca de e-mails com o Guto Carvalho, quando ele perguntou sobre essa parte da participação de outras pessoas, e nós dois concordamos que o coletivo era uma coisa difícil e que eu deveria tentar convidar um pequeno grupo. Depois que escrevi isso pra ele, mudei de ideia, e decidi que iria convidar muitas pessoas, e não um pequeno grupo. Porque eu já sabia que o timing das pessoas é diferente, e que poderia haver desconhecidos que se identificariam com o projeto.

Essa decisão gerou um retrabalho grande. Mudar seções, criar seções. Meu rascunho de estrutra do site foi por água abaixo, assim como o layout básico de cada página. As coisas foram evoluindo, tudo é melhor do que era em março, mas eu tive que refazer muita coisa. Trabalho duplicado ou triplicado, porque meu planejamento foi falho. E se alguém me falasse naquela época “por que você não faz um site que seja quase como um portal, com colaborações de pessoas do Brasil, do exterior, de pousadas, guias, pessoas que vendem produtos relacionados com aves?” provavelmente eu ia dar risada e dizer “você é doido”.

Ou seja: planejamento ajuda muito, mas se você planejou, e depois descobriu que planejou errado ou se subestimou, não tenha medo de mudar, mesmo que seja para ficar com páginas capengas durante um tempo.

 

Quando as coisas parecerem difíceis, lembre-se dos Deuses Americanos

Último slide da apresentação. Quis terminar com uma mensagem que pra mim é sempre um grande alento. Na Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) 2009, tive a oportunidade de ver a apresentação do Neil Gaiman. Eu tinha ido para ver o Cees Nooteboom, mas já que estava lá, por que não ver o Neil Gaiman também? Para quem não conhece, o Neil Gaiman é um quadrinista e escritor de romances, e tem (em maio de 2012) um milhão e seiscentos mil seguidores no Twitter. Ele é famoso faz tempo, e começou a apresentação dele contando sobre a divulgação de um de seus livros mais famosos, Deuses Americanos:

“Muitas pessoas acham que o processo de escrever um livro é como nos filmes: o escritor escreve a última página “The End”, o livro é impresso, e no dia seguinte é best-seller, sucesso de vendas e de crítica, capa de jornais. Mas não é isso que acontece na vida real. Quando terminei de escrever Deuses Americanos, iniciei uma longa turnê nos Estados Unidos para a divulgação do livro…”

Sucesso sem trabalho duro não existe, nem mesmo para gente famosa, como o Neil Gaiman (o que dizer de pobres desconhecidos, como a Virtude. Sempre que começo a me sentir meio chateada porque as pessoas não dão retorno, mesmo aqueles que têm serviços para divulgar no site, gratuitamente, com pouco esforço, além de voltar para meu plano inicial “lembra do que você falou para si e para os outros? A Virtude é um projeto pequeno, um trabalho de formiguinha”, eu também lembro dessa história do Neil Gaiman e me sinto uma idiota mimada, e paro de ficar com pena de mim).

A Nike usa outra frase boa, em camisetas usadas por funcionários:

“Rala que rola”

Então, esta é a minha mensagem de otimismo: quando as coisas parecerem difíceis, lembre-se do Neil Gaiman e dos Deuses Americanos. Obrigada!

 

 
.