Tarde de sábado, nada para fazer, o dia estava lindo e maravilhoso, peguei meu equipamento fotográfico, coloquei a mochila nas costas, peguei um ônibus para Andorinhas, mais ou menos vinte minutinhos, parei em Cachoeira Grande numa estradinha de terra onde realizei alguns registros interessantes. Fui com o propósito também de realizar algumas filmagens das minhas aventuras ornitológicas, andei assistindo alguns vídeos dos workshops de fotografia de aves do fotógrafo Gleen Bartley e gostei da ideia dele de documentar em vídeo.

Curutié (Certhiaxis cinnamomeus) Yellow-chinned Spinetail

 

Vez ou outra, quando a ave me dava a oportunidade de fotografar e ficava relaxada com a nossa presença eu aproveitava e filmava também, (você pode assistir alguns destes vídeos em http://www.youtube.com/user/PauloDiasrj) então decidi fazer o mesmo estilo de vídeo, armei a câmera no tripé e com muita vergonha e sem jeito tentei fazer a primeira filmagem no estilo “vlog” (Veja o vídeo no final do post).

Pois bem. Na hora em que estava filmando apareceu um casal de choca-listrada cantando. Apesar de ser uma espécie bastante comum e sempre interessante fotografá-la por causa de sua beleza peculiar do marrom, cinza e listras negras. Essas chocas são sempre curiosas e respondem bem ao playback.

Enquanto fotografava a choca um movimento em uma árvore ao lado me chamou a atenção, tinha um joão-de-barro tranquilo se limpando e arrepiando as penas. Fiquei ali por um bom tempo observando, estava um pouco contra a luz, mas com as configurações certas e um toque de Photoshop na edição final, consegui uma foto bem bacana.

O meu objetivo naquela tarde era de encontrar e melhorar a foto do saci (Tapera naevia), pois havia um bom tempo que não o registrava, (o último registro da espécie que tenho na região e de 21/09/2011 mas foi apenas pessoal). Nesse dia escutei ele cantando bem distante, coloquei o playback e notei que ele veio se aproximando devagar, mas muito desconfiado. Fiquei um bom tempo esperando ele aparecer, foi quando ele atravessou a estrada e ficou cantando num terreno murado, subi em cima do muro e o avistei cantando numa arvore, infelizmente muito escondido e embrenhado…

Entrei em uma pequena trilha que cortava uma plantação para ver se avistava alguma coisa, ouvi e pude observar algumas espécies, pia-cobra, sabiá-do-campo, anu-branco e quando estava voltando para a estrada encontrei pousado no fio, um filipe (Myiophobus fasciatus), chegando bem devagar armei o tripé coloquei a outra câmera para filmar e bati algumas fotos, (foi o primeiro registro fotográfico para o município), depois disso ele voou para um pequeno arbusto, bati mais algumas fotos e ao lado dele eu não tinha notado tinha um curutié, estava limpinho com uma luz muito boa foi um convite para uma foto….

Enquanto fotografava o curutié, um morador da região me abordou e perguntou se eu era da prefeitura, foi ate engraçado pois ele veio se aproximando aos poucos meio desconfiado, conversamos um pouco e expliquei a ele o trabalho que ando realizando em Magé, ele gostou bastante e começou a me perguntar sobre as aves da região e me revelou que era biólogo de vida marinha e que também fotografava (peixes). Enquanto conversávamos passou um casal de pica-pau-do-campo vocalizando, ele me perguntou qual seria a espécie quando disse que era um pica-pau ele se lembrou que havia um ninho em um tronco em frente a sua casa e que estava com movimentação, me disse que seu eu quisesse poderia fotografa-lo sem problemas, não hesitei e logo concordei, seria meu primeiro contato com um ninho de pica-pau e iria acompanhar ele sendo construído de perto e claro sem interferir. Era um ninho em um tronco bem baixo e quando cheguei já pude observar uma fêmea de pica-pau-anão-barrado (Picumnus cirratus), realizando o serviço da construção, onde já havia um buraco bem considerável, pois de vez em quando ela entrava e ficava por um tempo dentro da toca foi maravilhoso…(acompanhe o vídeo no final do post)

Fiquei na esperança de encontrar o macho porem só observei a fêmea realizando o “trabalho pesado”, foi muito legal fiquei ate o final da tarde observando esta linda fêmea. No mesmo quintal observei um bandinho de canário-da-terra-verdadeiro (Sicalis flaveola) apesar de serem bastante comuns notei que os bandos são bem pequenos de no máximo ate 4 indivíduos, o sr.Wilson até comentou comigo que a população dessa espécie para aquela região e bem reduzida. Infelizmente essa espécie juntamente com outras como por exemplo, coleirinho (Sporophila caerulescens), bigodinho (Sporophila lineola), tiziu (Volatinia jacarina) e muitas outros são muito caçados para o tráfico ilegal e venda em feiras livres, e fácil você avistar em alguns lugares redes japonesas armadas e gaiolas com alçapão…

E isso ai amigos confira o meu primeiro vídeo filmado neste dia com algumas destas fotos com o sestaque para o pica-pau-anão-barrado, obrigado pelas visitas ao meu site, e até a próxima passarinhada…

 

Obs da Virtude: Este vídeo feito pelo Paulo é muito legal! Mostra bem o cenário e a simplicidade de um passeio para ver aves: é você (ou você e seus amigos) com uma câmera ou binóculo, caminhando tranquilamente por beiras de estrada, lugares com mato, às vezes nem é de mata preservada, e aproveitando a beleza das aves.