Em agosto, graças a uma indicação do amigo Geiser Trivelatto, pude acompanhar os fotógrafos Gustavo Pedro, Virgígino Sanches e Nei Oliveira em uma expedição fotográfica pela Serra da Canastra. O grupo pratica a fotografia de forma séria e responsável, e com extremo profissionalismo registraram as aves, as plantas,as paisagens e os mamíferos do parque.

Chega a ser assustadora a visão de toda aquela paisagem cheia de vida se transformando em carvão em minutos. Felizmente, depois de dois dias de trabalho intenso e grande mobilização, os brigadistas conseguiram controlar o incêndio criminoso

Chega a ser assustadora a visão de toda aquela paisagem cheia de vida se transformando em carvão em minutos. Felizmente, depois de dois dias de trabalho intenso e grande mobilização, os brigadistas conseguiram controlar o incêndio criminoso

 

Apesar dos fortes e incessantes ventos que caracterizam o mês de agosto, foi possível fotografar aves incomuns como o andarilho, o galito, papa-moscas-do-campo, cigarra-do-campo, patativa, casal de urubu-rei e águia-chilena planando juntos, além de outras inúmeras espécies comuns do bioma Cerrado.

Avistamos vários bichos como o tamanduá-bandeira, que em alguns casos permitiu grande aproximação, por estar se alimentando, e rendeu ótimas fotos, inclusive possibilitando documentar os hábitos alimentares da espécie.

Durante a viagem encontramos mais de uma dezena de veados-campeiros, até mesmo uma fêmea com um filhote recém-nascido, que o Virgínio conseguiu registrar.

Nessa viagem, os veados estavam extremamente calmos, permitindo boas aproximações e propiciando registros inusitados como esse.

Agosto é o mês do vento, e infelizmente, também do fogo. Logo no nosso primeiro dia, recebemos a notícia de que parte do parque estava em chamas.

Chega a ser assustadora a visão de toda aquela paisagem cheia de vida se transformando em carvão em minutos. Felizmente, depois de dois dias de trabalho intenso e grande mobilização, os brigadistas conseguiram controlar o incêndio criminoso.

Fica aqui nossa homenagem a esses verdadeiros heróis, homens e mulheres de coragem, cujo trabalho garante a preservação da vida e a manutenção das espécies em um bioma frágil e já extremamente ameaçado.

 

AFNatura

Gustavo Pedro é presidente da AFNatura – Associação dos Fotógrafos de Natureza, uma entidade sem fins lucrativos que reúne pessoas que acreditam na fotografia como instrumento de valorização, defesa e divulgação do ambiente natural. Defender a vida, proteger o ambiente e disseminar o respeito pela natureza são os propósitos da AFNatura.

Para nós fotógrafos, é um excelente meio de fortalecer a classe e aglutinar interesses, serviços, e informações relativas a atividade. Eu já me associei, e deixo a dica para quem pretende levar a fotografia mais a sério, ou mesmo para os entusiastas que veêm no tema uma preocupação maior do que realizar meros registros fotográficos.

Acesse o site e conheça o projeto: www.afnatura.ogr.br