Untitled_Panorama1
O Tanquan em 180º
Untitled_Panorama2
Apenas uma parte das milhares de aves que habitam o local.
IMG_4100
Marreca-cricri (Anas versicolor)- Mais uma das espécies encontradas facilmente neste local.
IMG_4197
Garça branca grande - presença constante no local.
IMG_4236
Tanquã pelas primeiras luzes do amanhecer...
IMG_4237
A calmaria é tão grande que as aves convivem calmamente com os pescadores.
IMG_4068
Pequenos barcos a motores com capacidade para 04 pessoas fazem o transporte dos visitantes.
IMG_4117
Na procura pela Marreca cricri...
IMG_4126
Centenas, talvez milhares de Biguás e Garças pelo nosso caminho.
IMG_4212-(2)
A equipe do programa Terra da Gente (EPTV) gravou uma matéria no local.
IMG_4251
Que oportunidade fantástica ter reencontrado com grandes amigos e de ter conhecido tantos outros.

 

2ª PASSARINHADA EM APOIO AO TANQUAN…EU FUI!!!
SERÁ QUE A BARRAGEM VAI SER CONSTRUÍDA?

Para quem não conhece e nem ouviu ainda nada sobre o Tanquã eu recomendo que veja os post´s anteriores que fiz sobre este local. Em rápidas palavras, trata-se de uma enorme área alagada que fica entre os municípios de Piracicaba, Anhembi e Santa Maria da Serra. Pelas suas características singulares o local acabou ficando conhecido como o “pantanal paulista” e é o lar de dezenas de espécies de aves, além de peixes e mamíferos.

Esse local também serve como abrigo para aves migratórias que frequentam o mesmo ao longo do ano, além de servir como área de reprodução para uma ave ameaçada …o marrecão (Netta peposaca), sendo que esta é a unica área onde o mesmo foi registrado no estado de São Paulo.

Mas este local de grande importância ecológica está ameaçado! Tudo porque existe um projeto para a construção de uma barragem. A alegação é de que isto seria fundamental para o transporte através de hidrovias, mas os números não convencem e o prejuízo ecológico seria incalculável, portanto um grupo se engajou e resolveu protestar,sendo que isto já ganhou proporções consideráveis e algumas vitórias já foram alcançadas, mas ainda é muito cedo para dizer se o local está fora de perigo.

Desta forma alguns amigos desta causa dedicam muito de seu tempo e energia criando eventos que possam atrair cada vez mais pessoas ao local, afinal para que você queira proteger algo é necessário que você o conheça antes! E foi assim que surgiu a “2ª Passarinhada em apoio ao Tanquã”, promovida entre outras pessoas pelo meu amigo Luciano Monferrari, membro do CEO e feroz ativista desta causa.

Recebi o convite pelo Facebook e mesmo estando afastado das passarinhadas há algum tempo aceitei prontamente o convite, afinal este local oferece muito mais que uma oportunidade de observar aves…basta saber Ver!

Resolvi chegar bem cedo e tentar fotografar o local com as primeiras luzes do dia.
Bem…Acabei tendo alguns problemas de logística e cheguei lá apenas por volta de 7h da manhã, uma manhã fria de outono com algumas nuvens no céu, mas o sol logo deu as caras e nos presenteou com um espetáculo de luzes e cores!

Logo de cara pude encontrar com alguns observadores de aves que já se preparavam para sair nos barcos, e também com a amiga Claudia Komesu. Esta foi a oportunidade de nos conhecermos pessoalmente. Em poucos minutos dezenas de pessoas já chegavam e o movimento de barcos que saiam era constante.

Para este dia foram agendados diversos passeios de barco com curta duração, apenas para que os convidados pudessem conhecer o local, mas nos dias normais pode-se contratar os serviços dos barqueiros e navegar por várias horas. Procure pelo Ivanildo e ele atenderá a todos com o maior prazer.

Sobre a questão dos barqueiros eu quero falar algo… Na maioria são pescadores que moram no local, pessoas simples e (salvo o Ivanildo e o Alemão) tÊm pouquíssimo conhecimento sobre as aves, portanto cuidado com as pechinchas que possam aparecer. Aconselho a contratar um dos que já se especializaram nesta questão ou então, alguém indicado pelo mesmos.

Não pretendia passarinhar e nem levei uma teleobjetiva ao evento mas acabei aceitando o convite da amiga Claudia Komesu e saímos em um barco, juntamente com o também amigo João Marcelo e sua noiva. Nosso barqueiro não era um profundo conhecedor da avifauna e eu até desconfio que tinha problemas auditivos, mas empenhou-se o máximo para que pudéssemos ao menos ver algumas das espécies mais procuradas do local.

Tenho que admitir que foi uma oportunidade fantástica ter feito este passeio sem uma pesada lente e com a atenção focada apenas em registrar alguma ave, pois a minha percepção do local se ampliou consideravelmente.

Mas a grande atração do Tanquan ainda são as aves…e estamos falando de milhares delas! Em alguns trechos encontrávamos com bandos de biguás e de garças, impossível era contá-los mas o espetáculo de vê-los levantarem voo e tingirem o céu com suas asas alvi-negras é inenarrável!

De volta ao local de partida pudemos constatar que o movimento de pessoas havia aumentado muito e até uma equipe de televisão aceitou ao convite.

E não foi apenas o voo das aves que fez sucesso entre os observadores! Imagens aéreas feitas com um drone foram também alvo da atenção dos convidados. Ainda quero ter um destes…

Por volta de 12h recolhi o equipamento e me despedi dos amigos, mas acredito que o movimento deve ter se prolongado tarde adentro.

Como já citei antes, eu já conhecia o local e o visitei várias vezes, mas esta foi uma oportunidade única para mim. Pude re-conhecer o Tanquã com outros olhos e sob outro estado de consciência, pude ver e rever grandes amigos (grande amigo Dú Nyari e sua esposa Amarílis) e pude ser útil, colaborando para uma causa nobre.

Vida longa ao Tanquã!!!

 

Relatos de passeios feitos no Tanquã