Poucas pessoas sabem que o interior de São Paulo abriga um minipantanal. É emocionante e quase inacreditável ver tantas garças, cabeças-secas, tuiuiús, colhereiros, marrecas (e saber que há jacarés-de-papo-amarelo) tudo isso numa região tão urbanizada.

Dourado, a 290 km de São Paulo é um lugar que deve constar obrigatoriamente da agenda de qualquer observador de aves. A quantidade de aves e diversidade de espécies é bem grande. Mas não dá para ir sem guia, pois a maioria dos locais de interesse fica dentro de propriedades privadas e somente é possível adentrar com um guia local conhecido.

Existe um vilarejo no Estado de São Paulo que mais parece um cenário cinematográfico. Seu nome é Taquarussu. É uma vila pertencente ao distrito de Quatinga, município de Mogi das Cruzes – SP, localizado próximo à divisa com Santo André (distrito de Paranapiacaba)

A ponta de Caieiras foi um lugar muito especial, só com pedras vulcânicas e água bem limpinha. Pude ver de perto o maçarico-galego (Numenius phaeopus), bandos de vira-pedras (Arenaria interpres), maçarico-de-papo-vermelho (Calidris canutus), batuíra-de-bando (Charadrius semipalmatus) batuiruçu-de-axila-preta (Pluvialis squatarola)

Mata Atlântica nativa cobre 80% da área da pequena cidade de 8 mil habitantes. Nesse local tão preservado, há uma nova opção de passeio: a Trilha dos Tucanos oferece day use com almoço e também hospedagem. Maria-leque-do-sudeste, pavó, araponga, gavião-pega-macaco, gavião-bombachinha, trepador-coleira, araçari-poca, araçari-banana e muitas outras aves já foram registradas na propriedade.